Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

'Corrida do Arco-Íris' combate a discriminação e homofobia neste sábado (17), em Manaus

Competição terá largada às 17h30, em frente ao Comando Militar da Amazônia (CMA), e chegada no anfiteatro da Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus

Presença confirmada de Daniel Coelho, coordenador dos Jogos LGBT no Amazonas

Presença confirmada de Daniel Coelho, coordenador dos Jogos LGBT no Amazonas (Divulgação)

Neste sábado (17), no dia Internacional de Combate à Homofobia, Manaus vai receber a Corrida do Arco-Íris, que tem como principal objetivo alertar a sociedade contra o preconceito a Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT).

O evento, organizado pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejus), acontecerá na Ponta Negra, Zona Oeste, a partir das 17h30. Com largada do Comando Militar da Amazônia (CMA), na avenida Coronel Teixeira, em frente ao Shopping Ponta Negra, e chegada no anfiteatro.

Adepto a corridas de rua desde 2011, quando resolveu aceitar o convite de um vizinho para praticar a modalidade, o administrador Alex Sandro Machado, de 40 anos, disse que hoje, mais do que se divertir, ele vai apoiar uma causa nobre.

“A corrida faz parte da minha vida há três anos, mas é importante dizer que hoje vou participar da Corrida do Arco-Íris para me divertir e principalmente dizer ‘não’ ao preconceito”, disse. “Temos que respeitar as escolhas de cada um. Sou contra qualquer tipo de preconceito e por isso não poderia deixar de apoiar esse importante evento”, completou Alex, que faz parte, em Manaus, do grupo de corrida Endurance.

Para o coronel Louismar Bonates, secretário da Sejus, a Corrida do Arco-Íris foi muito bem aceita pelos amazonenses e por isso ele afirma que o objetivo (combater a homofobia) já foi atingido.

“Percebemos pelas redes sociais que muitas pessoas abraçaram a causa, que é justamente motivar a sociedade a combater a homofobia”, comentou Bonates.

Acostumado a usar o esporte contra o preconceito, o professor de educação física e coordenador dos Jogos LGBT no Amazonas, Daniel Coelho acredita que o evento abrirá portas para outras ações.

“Este é o primeiro passo para a construção de políticas públicas para a comunidade LGBT. Acredito que esta ação vai causar um bom impacto, a população está sendo receptiva. O esporte une povos”, pontuou.

Após a entrega da premiação, no anfiteatro da Ponta Negra, com entrada liberada, haverá a apresentação do DJ espanhol Nacho Chapado, da carioca Ana Paula (rainha das baladas LGBT), do DJ Morais (residente da The Week), do paulista Márcio S. (que atua no D-Edge - em SP - e no SUB - em Manaus) e do amazonense Pedro Gaioto.