Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Técnicos do futebol amazonense comentam as escolhas de Luiz Felipe Scolari para o Mundial

Equipe do CRAQUE ouviu a opinião de atuais e também de ex-treinadores do futebol amazonense, que disseram que Luiz Felipe Scolari foi coerente

Treinadores amazonenses opinam sobre convocação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo de 2014

Treinadores amazonenses opinam sobre convocação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo de 2014 (Reprodução)

Depois do anúncio oficial da lista com os 23 convocados para defender a Seleção Brasileira na Copa do Mundo no Brasil, o CRAQUE ouviu a opinião de atuais e também de ex-treinadores do futebol amazonense, que disseram que Luiz Felipe Scolari foi coerente. Para conquistar o hexacampeonato em casa, o comandante pentacampeão apostou na juventude, manteve a base da Copa das Confederações e chamou atletas em que ele tem plena confiança.

Para Aderbal Lana, Adinamar Adib, Iane Geber, Sinomar Naves, Marcos Piter, João Carlos Cavalo e Paulo Morgado – diferente do Mundial de 2002, desta vez, a lista de Felipão teve poucas surpresas. Mesmo assim, eles afirmam que mudariam alguns nomes.

A convocação de Henrique – ex-palmeiras e atual jogador do Napoli, da Itália – foi a mais questionada pelos treinadores dos times amazonenses. Para a maioria, Miranda - destaque do Atlético de Madrid, ou Dedé – zagueiro do Cruzeiro - estão em melhores condições físicas e por isso mereciam a vaga.

“A grande surpresa dessa convocação foi o Henrique, que é um jogador que o Felipão conhece bastante e, além disso, consegue jogar como volante e como lateral também. Pelo momento, todos esperavam que o Miranda fosse convocado, porque ele está muito bem no Atlético. Mas respeito à decisão do técnico”, disse Adinamar Abib – que já comandou, entre outros times, o Penarol.

E o Robinho?

Aderbal Lana, que comandou o Fast Clube no Estadual deste ano, disse que Scolari acertou ao chamar os goleiros Victor (Atlético-MG) e Jefferson (Botafogo), mas que não confia muito em Julio Cesar (Toronto FC - CAN). O treinador também falou sobre a ausência de um jogador mais experiente no ataque.

“Henrique e Julio Cesar são jogadores que o Felipão conhece bem, são homens de confiança dele. Assim como Fred e Jô, mas acredito que Robinho poderia ter sido convocado, ele é um jogador que às vezes não vai muito bem no clube, mas na Seleção sempre faz a diferença. Acredito que poderia ter ido no lugar do Jô, talvez”, acrescentou o treinador.

Iane Geber, que durante muitos anos atuou como goleiro do Rio Negro, equipe em que também trabalhou como técnico, disse que Felipão optou por manter a base.

“Ele preferiu manter uma equipe que já conhece, com jogadores em que ele confia bastante. Julio Cesar é muito criticado, mas é o goleiro que o Felipão confia e nós temos que respeitar isso”, completou.

Nada de mistério

Para Paulo Morgado, desta vez, Luiz Felipe Scolari não quis fazer mistério, apenas apostou na base de um time que confia. “Sem surpresas, ao contrário dos outros anos. Ele foi coerente, mas acredito que Filipe Luís e o Miranda, do Atlético de Madrid, poderiam ocupar os lugares de Henrique e Maxwell. Em relação às outras posições ele foi coerente e chamou atletas que ele confia isso é normal”, completou o técnico, que esteve à frente do Manaus, no Amazonense.

João Carlos Cavalo, que já treinou muitas equipes do Amazonas, também ressaltou a ausência de Miranda.

“É claro que o Felipão convocou jogadores de qualidade, mas acredito que Miranda merecia uma oportunidade”, ressaltou - o ex-técnico do Brasiliense.

Treinadores do Nacional e do Princesa do Solimões, que neste domingo disputam a final do returno do Estadual, Sinomar Naves e Marcos Piter também aprovaram a lista de Felipão.

“Ele (Felipão) seguiu o planejamento, chamou jogadores que conhece. É claro que existem opiniões diferentes, mas tenho certeza que ele fez as escolhas certas”, disse Naves – técnico do Leão da Vila Municipal.

“Victor e Henrique foram sem dúvida às principais surpresas. Eu estranhei bastante a ausência do Miranda, mas no geral gostei das escolhas, Felipão foi coerente”, pontuou Marquinhos Pitter.

Perigos no caminho

No geral, os treinadores do futebol amazonense aprovaram a lista de Luiz Felipe Scolari e acreditam que com este grupo o Brasil conseguirá conquistar o hexa em casa. Mas é claro, que como bons técnicos fizeram as suas ressalvas.

“Os jogadores da Seleção são talentosos e de muita velocidade. Mas eu sinto falta de alguém para pensar com calma nas jogadas, alguém para cadenciar o jogo. Paulo Henrique Ganso seria a pessoa ideal para esta função. Mas ele não quis estar na Copa, porque se quisesse não estaria acomodado”, alfinetou Adinamar Abib.

Aderbal Lana disse que se o Brasil passar pela primeira e segunda fase do torneio com tranquilidade, terá boas chances de conquistar o Hexa.

“Nossos primeiros adversários não são tão fáceis quanto parecem. A Croácia tem um time muito bom, o México sempre leva vantagem em relação ao Brasil. Mas, na minha opinião, Camarões é a equipe mais perigosa da primeira rodada”, comentou.

“Na segunda etapa, poderemos enfrentar Holanda e Espanha - e se passarmos por elas dificilmente perderemos o título”.