Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Alemães e simpatizantes do time germânico em Manaus ficam divididos no jogo desta terça (08)

Em Manaus, alemães que moram no Brasil há muito tempo, e até mesmo amazonenses simpatizantes da Alemanha, estão com os corações divididos, ainda sem saber para quem torcer no jogo desta terça-feira (08), da semifinal do Mundial

Alemães e amazonenses natos com o tradicional “drink” germânico nas mãos

Alemães e amazonenses natos com o tradicional “drink” germânico nas mãos (Antonio Lima)

O primeiro confronto das semifinais da Copa do Mundo será entre Brasil e Alemanha, hoje, às 16h, no Mineirão, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Sem favorito, a partida promete ser recheada de fortes emoções. Em Manaus, alemães que moram no Brasil há muito tempo, e até mesmo amazonenses simpatizantes da Alemanha, estão com os corações divididos, ainda sem saber para quem torcer. Mas de uma coisa eles tem certeza: será um grande jogo.

Apesar de ser amazonense, o advogado Douglas Monteiro é um torcedor encantado pelo futebol e também pela cultura germânica. Mas afirma que hoje vai torcer pela Seleção Brasileira, mesmo admitindo que a Alemanha está melhor na competição.

“Vou torcer pelo Brasil, mas acho que a Alemanha pode ganhar. Eles estão curtindo a Copa, aproveitando o Brasil, não tem preocupações fora do campo. Já o Brasil, tem uma pressão enorme, ainda mais agora sem Neymar e Thiago Silva”, comentou Monteiro.

“Também acho que o esquema tático da Alemanha é melhor que o nosso. A base deles vem sendo construída desde 2006 e por isso estão bem mais entrosados que o Brasil”, completou.

Como a maioria dos torcedores, Douglas Monteiro também aposta que o jogo será muito difícil e que a decisão não deve sair no tempo normal.

“Vai ser um jogão de bola e acredito que a decisão será nos pênaltis”, apostou.

O empresário alemão Rolf Jost, dono do bar Frankfurt, no Jardim Oriental, Parque 10, mora em Manaus há 20 anos. Ele diz que vai torcer pela equipe germânica, mas que tem certeza que também ficará feliz se o Brasil for o vencedor do jogo.

“Existe uma situação diferente. Vou torcer pela Alemanha, mas vou ganhar de qualquer jeito porque também ficarei feliz se o Brasil vencer”, completou ele.

Jost também acredita que a Alemanha jogará melhor. E que a Seleção Canarinho sentirá a ausência dos jogadores Neymar e Thiago Silva.

“A Alemanha está bem mais preparada que o Brasil. Fez um ótimo jogo diante da França e tenho certeza que hoje não será diferente. Acho que a Seleção sem Neymar e Thiago Silva não conseguirá ter uma boa atuação, por isso aposto que a partida será 2 a 1 para a Alemanha”, comentou o empresário.

Mas ele garante que tanto os alemães, quanto os brasileiros, serão muito bem recebidos no Bar Frankfurt. “O bar vai abrir às 15h e nós estamos aguardando os torcedores do Brasil e da Alemanha. O importante é assistirmos juntos mais um grande jogo”, finalizou.

Dúvida sobre por quem torcer

Pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/ MCTI), Jochen Fchoenga é outro alemão que mora há muito tempo no Estado do Amazonas. Casado com uma brasileira, ele disse que aprendeu a amar a cultura do Brasil e que, por isso, está com o coração bem dividido também.

“Tenho amor pela Seleção Brasileira, que tem um futebol muito atraente, com jogadas rápidas. diferente da Alemanha, que foca no futebol eficiente, sem muita arte”, disse o especialista.

Apesar de dizer que ainda não sabe para quem vai torcer, Fchoenga deixou escapar que quem deve vencer é o Brasil.

“Aposto 2 a 1 para o Brasil, acho que mesmo sem Neymar e Thiago Silva ele conseguirá vencer”, comentou o pesquisador.

Ele também destacou os pontos fortes das equipes e acrescentou que, por ser mata-mata, a partida será bastante complicada.

“Jogar em casa com certeza é uma grande vantagem para o Brasil. Ter o apoio da torcida é sempre muito importante. Além disso, a saída do Neymar será mais uma motivação para o Brasil, que tem uma zaga fantástica e que fará de tudo para ganhar, afinal a Copa é aqui e o título é muito desejado”, pontuou.

“A Alemanha não ganha uma Copa há 24 anos, e é claro que vão com tudo para ganhar. O goleiro é muito bom, assim como o meio campo. Mas a defesa e o ataque, às vezes, falham e isso pode ser um problema”, acrescentou.