Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Clássico histórico da Copa: Alemanha e França se enfrentam nesta sexta (04), no Maracanã

A partida é válida pelas quartas de final da Copa do Mundo e define o adversário do vencedor de Brasil x Colômbia, que também será disputado nesta sexta, em Fortaleza

Schweinsteiger (Alemanha) e Benzema (França) são as apostas dos times, respectivamente

Schweinsteiger (Alemanha) e Benzema (França) são as apostas dos times, respectivamente (Bruno Kelly)

Duas potências do futebol, Alemanha e França, se encontram nesta sexta-feira (04), às 12h (horário de Manaus), no mais célebre palco do futebol brasileiro, o estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. A partida é válida pelas quartas de final da Copa do Mundo e define o adversário do vencedor de Brasil x Colômbia, que também será disputado hoje, em Fortaleza.

França e Alemanha já duelaram três vezes na história dos mundiais, com um empate e uma vitória para cada lado. Em 1958, na Suécia, os franceses golearam os rivais europeus por 6 a 3. Em 1982, empataram por 3 a 3, com os germânicos levando a vaga para a final, nos pênaltis. Já 1986, a Alemanha levou a melhor no tempo normal com o placar e 2 a 0.

No total dos confrontos a vantagem é dos Azuis, que derrotaram os rivais do continente por 11 vezes, empatando seis e perdendo oito.

Mas, para o goleiro francês Hugo Lloris, que concedeu entrevista coletiva ao lado do técnico Didier Deschamps, na sala de imprensa do Maracanã, a história ficará de fora do campo. “É fato que houve confrontos históricos entre as duas seleções, mas vivemos o momento atual. Queremos escrever a nossa própria história hoje”, disse ele, que divide com Ospina, da Colômbia, Courtois, da Béligica, e Navas, da Costa Rica, o status de goleiros menos vazados da Copa, com apenas dois gols sofridos até agora.

Desacreditada antes do Mundial, a França se classificou na repescagem das Eliminatórias e perdeu sua principal referência de criação, o meia Frank Ribéry, a seis meses do Mundial. Em campo, porém, os Blues calaram os críticos e chegaram às quartas de final com o segundo melhor ataque da competição, com 10 gols.

Mas, enquanto a França alterna grandes campanhas com decepcionantes desclassificações na primeira fase, a Alemanha tem o trunfo de ter chegado, nas quatro últimas Copas do Mundo, entre os semifinalistas do torneio.

Neste Mundial, a Alemanha teve estreia empolgante: a goleada por 4 a 0 na seleção de Portugal, do melhor do mundo, Cristiano Ronaldo.

Porém, não repetiu o mesmo desempenho diante de Gana, quando empatou por 2 a 2, diante dos EUA, com uma vitória suada por 1 a 0, e contra a surpreendente Argélia, quando os alemães venceram por 2 a 1, com os três gols da partida marcados na prorrogação.