Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Atleta amazonense se prepara para a corrida Night Run de 21 km na Ponta Negra, em Manaus

A atleta Jéssica Santos, que alcançou o terceiro lugar durante a Corrida da Polícia Federal, volta para as pistas neste sábado, para a disputa relativa ao X-Terra

Jéssica Santos é uma das principais participantes do X-Terra em Manaus

Jéssica Santos é uma das principais participantes do X-Terra em Manaus (Divulgação)

Depois de duas semanas de “molho”, Jéssica Santos está de volta às pistas. Na semana passada, durante a Corrida da Polícia Federal, ela alcançou o terceiro lugar, e neste sábado (19) será uma das atletas da elite amazonense que vai participar da Night Run de 21 km, na Ponta Negra, Zona Oeste.

A prova faz parte do X-Terra Manaus – que vai contar ainda com a Night Run de 7km, a tradicional corrida kids e também do triatlo e da Endurance 50km, que serão disputadas na Base de Instrução 4 (BI-4) do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) em trilhas do chamado “Quadrado Maldito”.

Esta será a segunda vez que Jéssica participará de uma corrida de 21km, mas ela conta que está bem preparada para o desafio.

“Já corri distâncias mais curtas no X-Terra, e 21 km fiz algumas vezes dentro de triatlo de longa distância, como o Ironman 70.3. Mas, somente corrida de 21 km, será a segunda vez que farei”, comentou.

“Não treinei especificamente para esta prova, mas estou bem preparada porque meus treinos são longos e intensos para as provas de triatlo. Além da corrida, pedalo e nado, e isso me dá uma resistência a mais. Gosto das provas longas porque consigo manter o ritmo até o final, então acho que vou me sair bem nesses 21 km”, acrescentou a atleta.

Apesar da confiança, Jéssica afirma que esta será mais uma prova difícil, por isso diz que manter atenção e a tranquilidade durante os 21 km será fundamental para fazer um bom tempo. “Não sei das minhas adversárias, mas de qualquer forma será difícil pela própria distância e pelo percurso que tem várias subidas, exigindo bastante força dos atletas. A dica é ter precaução para não sofrer acidentes, ter muita atenção, e aproveitar para correr forte nos momentos de maior claridade. Para quem começou há pouco tempo, o melhor é manter um ritmo tranquilo e constante, para passar bem pela linha de chegada”, declarou.

Jéssica, que também se prepara para o Amazonense e para a Copa do Brasil de Triatlo - que acontecerão em Manaus no próximo mês – revelou porque não se inscreveu para participar da prova da modalidade no X-Terra. “Acho muito legal, mas exige treino específico em trilhas, com Mountain Bike, que eu nem tenho. Como não tenho prática, seria muito perigoso eu me machucar fazendo essa prova, e como tenho competições importantes mês que vem, preferi não arriscar”, afirmou.

A atleta também falou sobre a felicidade de poder participar cada vez mais de grandes provas em casa.

“Acho sensacional o X-Terra aqui em Manaus; os atletas que vem de fora amam o triatlo na selva. Para nós, daqui, também é ótimo porque são várias provas diferentes para participarmos, já que são raras competições de longa distância em Manaus. Este ano, as coisas começaram a mudar”, comentou.