Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Campeonato Amazonense: Jogo entre Fast e Penarol é marcado com 'batalha' no campo da Ulbra

O jogo foi realizado nesta quarta (02), com direito a agressão física ao árbitro Uésclei dos Santos e a spray de pimenta no goleiro Robson, do Leão da Velha Serpa

O goleiro do Penarol, Robson, estava com as mãos para cima

O goleiro do Penarol, Robson, estava com as mãos para cima (Reprodução Clóvis Miranda )

O empate de 3 a 3 entre Fast e Penarol, nesta quarta-feira (02), no campo da Ulbra, Zona Sul de Manaus, válido pela terceira rodada do returno do Amazonense, pegou fogo. A duas rodadas para a reta final do torneio, a vitória era muito importante para os dois times, mas principalmente para o Tricolor de Aço, que ainda não venceu nesta fase. O jogo foi tenso, com direito a agressão física ao árbitro Uésclei dos Santos e a spray de pimenta no goleiro Robson, do Leão da Velha Serpa – totalmente sem necessidade.

A partida foi muito equilibrada. E apesar do Rolo Compressor ter as primeiras chances de gol, quem abriu o placar foi o Penarol aos 12 minutos, com Léo Silva. O resultado de 1 a 0 mexeu com o Fast, que ficou ainda mais nervoso. Na tentativa de impedir o Leão do interior de ampliar o placar, o zagueiro Márcio Abrahão deu uma cotovelada em Léo Silva e recebeu apenas um cartão amarelo.

Depois disso, os donos da casa quase empataram com Rosembrick e Peu. E o Penarol quase ampliou com Léo Santos, Ramon e Railson. Porém, a primeira etapa acabou mesmo em 1 a 0.

Empurrado pela torcida, o Fast voltou melhor para o segundo tempo. Aos 4 minutos, Rodrigo Ítalo por muito pouco não marcou para o Tricolor, mas a bola acabou indo para fora.

O técnico Aderbal Lana resolveu então mexer no time e colocou Diogo Gavião no lugar de Juliano César e Lê no lugar de Catatau. Mas foi o meia Rosembrick quem empatou a partida, aos 21 minutos.

O Penarol voltou a ficar na frente, aos 26, novamente com um gol de Léo Santos.

Carlinhos Bala igualou aos 28. Mas os jogadores do Leão da Serpa alegaram que o árbitro ignorou uma falta - que teria acontecido minutos antes do gol do Fast - e partiram para cima do juiz. Mais alterado, o preparador de goleiros do Penarol, Guanair, invadiu o campo e deu um soco na nuca de Uésclei dos Santos. A Polícia Militar teve que intervir. Durante a confusão, o goleiro Robson (Penarol) - que, com as mãos para cima, questionava o lance com a arbitragem quando recebeu um jato spray de pimenta nos olhos e teve que ser atendido pelo departamento médico. Após 10 minutos de paralisação, o jogo recomeçou. E o Leão da Velha Serpa teve que continuar com um jogador a menos - Railson foi expulso depois da confusão.

Com o time completo, o Rolo Compressor resolveu usar todas as suas armas na busca pela vitória. Diogo Galvão, que perdeu uma grande chance, na cara do gol, ao cabecear a bola para o chão, colocou o Tricolor na frente, aos 40 minutos - na comemoração tirou a camisa e recebeu cartão amarelo.

Com a vantagem e com os três prontos praticamente garantidos, o Fast Clube pedia calma e torcia para que o jogo acabasse. Mas, o Leão da Velha Serpa estava disposto a acabar com a festa do adversário, e no último minuto, já nos acréscimos, Ramon fez o gol da alegria do Penarol e da tristeza do Tricolor de Aço.