Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Conheça o primeiro amazonense a concluir o Ultraman Brasil

Nadar 10 quilômetros, depois pedalar 145 quilômetros de Paraty (RJ) até Ubatuba (SP) e voltar em um dia, já não parece ser fácil. Agora imagine outras competições no dia seguinte. Saiba quem é o amazonense que foi capaz de tudo isso

Márcio Soares se junta, ainda, ao seleto grupo de 20 brasileiros que tem o feito

Márcio Soares se junta, ainda, ao seleto grupo de 20 brasileiros que tem o feito (Divulgação)

Em um dia nadar 10 quilômetros, depois pedalar 145 quilômetros de Paraty (RJ) até Ubatuba (SP) e voltar em um dia. No outro, encarar uma pedalada de 276 quilômetros com direito a passagem pela serra do piloto e no último, uma “corridinha” de 84km de Itaguaí-RJ até a praia do Pepê. Este foi o “pequeno” desafio que o professor de Educação Física Márcio Soares, 51, superou ao concluir o UltraMan Brasil. Com o feito, o manauara se tornou o primeiro amazonense a concluir a prova. Ele se junta, ainda, ao seleto grupo de 20 brasileiros que tem o feito.

Professor universitário e de Educação Física, Márcio é pai de dois filhos e casado com Rany Soares há 29 anos. Assessor esportivo, ele explica que a paixão pela modalidade começou há um tempinho atrás. “Comecei em 1990 e segui, corri ultra maratona, jungle maratona e mais quatro provas de Ironman”, contou. Wagner Araújo, editor de uma revista especializada na modalidade e com experiência em diversas competições internacionais, resumiu bem o feito de Marcio. “Ele concluiu a prova que tem um percurso mais difícil que o temido percurso do Hawaii”, afirmou.

ULTRAMAN BRASILO

Ultraman Brasil ou “UB515” é a primeira competição em formato Ultraman da América Latina. Participar de uma competição tão árdua como esta, segundo Soares, é um desafio pessoal que ele procura diariamente na modalidade.

“Parece que tem um imã que me leva para esse tipo de prova. A natureza, o tempo de prova e a sensação que tenho são coisas que o dia-a-dia não me dá. Por isso pratico o triatlo. As paisagens são demais”, fala Márcio. Ele disse, também, o que mais gosta na modalidade que, para muitos, é tão dolorosa: “A natureza é o melhor. Nadar no mar, no rio, pedalar, participar de uma prova dessas é diferente de tudo que você vive no dia a dia”.

Marcante

O espírito esportivo, tantas vezes esquecido em outras modalidades, é o que mantém Márcio Soares vinculado a modalidade. “A solidariedade e a família são características marcantes nas provas. A minha equipe apoia tanto a mim quanto ao meu adversário. Esse clima é bom para o resgate do esporte”.

O atleta frisa que, em uma competição como o Ultraman, o importante não é chegar em primeiro; segundo ele, a satisfação maior é outra. “Esse não é o tipo de coisa que importa, o lugar que você chega. Mas, sim, completar a prova”, afirmou.

Importância

Questionado qual teria sido o momento mais importante da prova, Marcio pensou e respondeu de maneira clara que demonstra o amor pelo esporte. “Estar competindo na prova é, na verdade, uma viagem espiritual para mim. Com exceção dos profissionais, o esporte é um momento de lazer, não de estresse”, contou Marcio. emoçãoEle falou que o momento da largada de uma prova como o Ultraman Brasil é para ser lembrado para sempre.

“Na largada estava uma paz. Durante a prova, a gente vê cada paisagem, lembra dos amigos que ajudam, e dos que estão competindo. Rezei várias vezes enquanto pedalava. Mostra o quanto este esporte é demais. Saber que você tem saúde para esse tipo de coisa é gratificante demais”, disse Márcio, com os olhos marejados de lágrimas, demonstrando emoção ao lembrar da “UB515”.