Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Copa do Brasil: Reação do Princesa diante do Santos rendeu reconhecimento nacional

Nem a derrota do Princesa do Solimões para o Santos, por 2 a 1, deixou de enaltecer o talento do time local na noite de quinta-feira na Arena da Amazônia

Lídio e He Man pedem impedimento em ataque santista

Princesa do Solimões deu o que falar Manaus afora (Clóvis Miranda)

A derrota suada do Princesa para o Santos por 2 a 1, na noite de quinta-feira na Arena da Amazônia, pela partida de ida da Copa do Brasil, que garantiu o jogo da volta na Vila Belmiro, na próxima quinta-feira, às 20h50 (Manaus), colocou o time amazonense em evidencia no Brasil. É quase unânime a opinião de que, considerando o futebol que o Princesa jogou no segundo tempo, merecia pelo menos o empate.

Após a partida, o técnico do Santos, Oswaldo de Oliveira, foi o primeiro a reconhecer a qualidade da equipe anfitriã. “O Santos não complicou nada. Do outro lado há um time com o mesmo objetivo. Não estávamos jogando sozinhos. O Princesa talvez estivesse jogando o jogo mais importante não só do ano, mas da história do clube. Com esse tipo de adversidade, o jogo sempre fica mais difícil”, falou o técnico, na entrevista coletiva.

A imprensa paulista também opinou sobre o sufoco santista. “O Santos sofreu bastante. Impressionante. O time amazonense até poderia ter empatado, o que seria inadmissível devido aos investimentos do clube que não tem nem como comparar com o time adversário”, disse o comentarista da Rádio CBN, André Sanches.

Reconhecimento

Apontado como um dos responsáveis pela reviravolta do Princesa no jogo, o técnico Marcos Piter, teve o reconhecimento por parte do treinador do Peixe.

“O Oswaldo chegou comigo e falou cada coisa boa. Disse que meu time é bom e de qualidade, mesmo com os jogadores regionais, e que ele veio para ganhar o jogo, e que eu fiz toda a diferença com as mudanças. Disse também que acompanhou minhas entrevistas e viu bastante humildade. Receber um elogio de um dos maiores treinadores do Brasil é motivo de orgulho”, declarou Marcos, que possui um pouco mais de três anos de carreira.

Mesmo com a felicidade, o técnico do Princesa vai ter que esquecer o jogo passado e pensar na final do returno contra o Nacional. “Já acabou a euforia do Santos. Agora é pensar no Nacional. Domingo vai ser uma final difícil”, comentou.