Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Destaque no jiu-jítsu do Amazonas, Lukas Matheus coleciona títulos aos 15 anos

O faixa-verde, que recentemente participou da competição World Kids, na Califórnia (EUA), tem em sua bagagem boas histórias para contar e títulos a comemorar

Lukas Matheus faturou recentemente o World Kids, nos Estados Unidos. Ele já se prepara para novos desafios pelo mundo afora

Lukas Matheus faturou recentemente o World Kids, nos Estados Unidos. Ele já se prepara para novos desafios pelo mundo afora (Lucas Silva )

O jiu-jítsu tem se difundido cada vez mais no cenário esportivo local, nacional e mundial. São diversos atletas que praticam a “arte suave” e em cada quimono vestido, em cada faixa conquistada, sempre existe uma história e um aprendizado para o atleta contar.

O amazonense Lukas Matheus, 15 é um exemplo disso. Mesmo com a pouca idade, o faixa-verde, que recentemente participou da competição World Kids, que aconteceu na Califórnia (EUA), não deixa de ter em sua bagagem boas histórias para contar e títulos a comemorar.

Sem saber que tudo aconteceria tão rápido e de forma tão instantânea, o atleta, que pratica a modalidade desde os seus sete anos de idade, conta que tudo ainda é muito repentino e que não esperava tudo tão rápido em sua vida. “No começo, eu não pensava como agora. Via meu irmão lutar e eu sentia vontade de viajar como ele. Mas, não esperava que tudo fosse tão rápido como foi. A gente vai conquistando devagar as coisas e tenho sempre a certeza que nada é impossível quando a gente quer”, ressaltou Lukas.

Dono de inúmeras medalhas de diversas competições que participa, ele recentemente conquistou mais duas e essas, segundo ele, foram bem especiais por toda a aventura que foi viajar, pela primeira vez, sozinho para o exterior.

“Foi uma competição muito boa. Tinha muito atleta de fora e eram pouquíssimos brasileiros. E o legal é que foi a primeira vez que eu fui sozinho. As outras vezes que viajei foi com o meu pai e dessa vez foi diferente. As responsabilidades aumentaram e confesso que eu sentir falta deles lá, mas dei o meu melhor e trouxe pra casa duas medalhas de ouro. Uma foi da disputa com quimono e a outra sem”, detalhou Lukas.