Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

‘Hermanos’ amazonenses torcem explicitamente para a Argentina

Nem todo brasileiro vai torcer pelo Brasil na Copa do Mundo de 2014. Prova disso são alguns amazonenses que declararam-se ‘hermanos’ de coração

Sabrina e Sandro Pereira viram a casaca e tornam-se torcedores assumidos da Argentina

Sabrina e Sandro Pereira viram a casaca e tornam-se torcedores assumidos da Argentina (Evandro Seixas e Arquivo Pessoal )

Qual o brasileiro que não gosta de assistir a um dos clássicos de maior rivalidade entre do planeta? De um lado do campo, Brasil, responsável por erguer a Taça do Mundo cinco vezes, do outro, a arquirrival Argentina, que venceu apenas duas vezes o Mundial. Nesta Copa, os rivais podem se cruzar apenas na grande final.

Mas, se isso acontecer, nem todos os brasileiros estarão torcendo contra os “hermanos”. Em Manaus, um repositor de um supermercado não veste a camisa verde de jeito nenhum. Ele prefere exibir com orgulho a camisa azul e branca. Sandro Pereira, 19, é torcedor assumido da Argentina. Ele conta que criou ‘ódio’ da Seleção Canarinho desde a Copa do Japão e Coréia. “Em 2002, o Brasil foi campeão e eu fiquei com muita raiva porque eu estava torcendo para a Alemanha na final. Chorei muito e todo mundo dizia que eu era um besta e desde lá eu disse que não ia mais torcer para o Brasil. Cresci e criei antipatia pela Seleção”, contou.

Sandro, obviamente, virou motivo de brincadeiras e chacotas entre os amigos. Mas, nada disso foi suficiente para fazê-lo mudar de ideia. “Sou fã do Messi e sempre acompanhei as coisas da Argentina, principalmente a história do país, que é belíssima. E eu não ligo para o que as pessoas falam. Me perguntam se eu estou ficando louco, mas não. Levo tudo na esportiva e nada e nem ninguém fará eu torcer para o Brasil nesta Copa. Na verdade, não vejo a hora deles serem eliminados da competição”, provocou o hermano baré.

Quem também não quer “papo” com a torcida brasileira é a bióloga Sabrina Protázio, de 22 anos de idade. Ela conta que desde pequena criou amor pela seleção Argentina e, que nesta Copa do Mundo, não torcerá para o time de casa. A família vai apoiar a decisão de Sabrina, já que seu pai é português e fã do Cristiano Ronaldo e seus dois irmãos também torcem pelos hermanos. “Eu optei mesmo por me interessar por uma seleção e essa seleção foi a da Argentina. Tem gente que me liga para zoar quando a Argentina perde, mas eu nem ligo”, destacou Sabrina.