Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Nacional enfrenta o Corinthians nesta quarta (30), em Manaus

Naça, que no ano passado fez história na Copa do Brasil ao ser o primeiro time amazonense a chegar na quarta fase do torneio, tenta surpreender novamente. O adversário da vez é o ‘Todo Poderoso’ Corinthians

Leão fez treinamento coletivo nesta segunda-feira (29) na Arena da Amazônia

Leão não pode sofrer gols. Dois tentos de diferença elimina o jogo de volta (Bruno Kelly)

O Nacional enfrenta o Corinthians nesta quarta-feira (30), às 21h (horário local), na Arena da Amazônia Vivaldo Lima, pela segunda fase da Copa do Brasil, disposto a repetir o feito de 42 anos atrás, quando o Naça fez história e venceu por o Timão por 2 a 0, no dia 25 de setembro de 1972, pelo Campeonato Brasileiro, jogando no antigo Vivaldo Lima.

Mas, se por um lado o Leão da Vila Municipal vem reforçado com Dênis Santos e Carlinhos Bala, a equipe paulista veio com força máxima com Cássio, Romarinho, Jadson e Guerreiro, para tentar vencer por dois gols de diferença e sair de Manaus com a classificação sem a necessidade do jogo de volta em São Paulo.

O clima era de confiança entre os jogadores nacionalinos durante o treino apronto de ontem no Centro de Treinamento Barbosa Filho. O goleiro Jairo sabe da responsabilidade na partida. Ele acredita que o segredo para ir mais longe é fazer um bom resultado em Manaus.

“É fundamental não tomar gols. Sabemos que o Corinthians é uma grande equipe, que foi campeã do mundo, mas o Nacional vai buscar o resultado positivo que será importante para os jogadores e para a torcida. Vamos entrar com determinação. Queremos fazer a partida de volta e decidir na casa do adversário”, afirmou o goleiro do Nacional.

O “carrasco” do Corinthians na final da Copa do Brasil de 2008, quando jogava pelo Sport na vitória por 2 a 1, em que marcou um dos gols, o atacante Carlinhos Bala espera estar com sorte hoje para ajudar o time azulino a vencer a partida. “Graças a Deus fui feliz naquela partida, mas esse jogo faz parte do passado. Tive uma história no Sport e fui campeão em cima do Corinthians, mas agora é Nacional. Estamos na fase do mata-mata, que torna a partia mais complicada numa competição de alto nível que é a Copa do Brasil. Vamos jogar em casa com obrigação de ganhar. Vamos ter paciência porque não podemos errar contra eles, pois pode ser fatal”, avisou Bala. No ano passado o Leão chegou à quarta fase da Copa do Brasil derrubando times como Coritiba e Ponte Preta.

Timão

Assim como o Nacional, que treinou na Arena, ontem à tarde foi a vez do time paulista pisar pela primeira vez no “gramado da Copa”. O técnico Mano Menezes trouxe 22 jogadores para Manaus e aproveitou o trabalho de reconhecimento do gramado para realizar um treino tático com bolas na área. As novidades no treino foram as entradas do lateral-esquerdo Uendel, do volante Bruno Henrique e do atacante Luciano. Fábio Santos, Guilherme e Romarinho ficaram entre os reservas.

Apesar da entrada dos jogadores como titulares no treinamento, Mano não confirmou se os atletas vão estar entre os onze que iniciarão a partida. “Trabalho com possibilidades, mas a formação que vai iniciar o jogo tenho por hábito só revelar 45 minutos antes do jogo”, disse o treinador, preocupado com o desgaste das viagens.

O técnico do Timão afirmou ainda que mandou para Manaus um olheiro e adquiriu vídeos do clube adversário. E o material fez efeito. Mano treinou bastante jogadas de escanteio, bolas aéreas e marcação forte dentro da área - uma das principais jogadas do Nacional. “É imperdoável estar desinformado com a estrutura que o Corinthians tem. Mandamos um observador aqui, requisitamos materiais, lemos tudo, tentamos entender a cabeça do técnico”, revelou.

O clube também vai homenagear o piloto Ayrton Senna. Cada jogador do clube vai entrar em campo com uma réplica do capacete usado pelo piloto. Amanhã completará 20 anos da morte do eterno ídolo da F-1.

Ele ganhou do Timão há 42 anos

Único amazonense que era titular naquele time que fez história em 1972, quando venceu o Corinthians por 2 a 0 no Campeonato Brasileiro, o ex-lateral direito do Nacional, Antônio Piola, 64 anos, esteve no CT Barbosa Filho nesta terça-feira para desejar boa sorte aos jogadores e relembrar os tempos de glória do futebol amazonense. Ele disse que o Naça foi o primeiro time do Amazonas a vencer uma grande equipe do cenário nacional.

“Ainda me lembro da jogada do primeiro gol. Tinhamos treinado muito isso por determinação do nosso treinador, o Paulo Emílio. Eu recebi o lançamento avancei até a linha de fundo e cruzei. O Campos, que era um excelente atacante, matou no peito, driblou o Baldoque e fez o primeiro gol para delírio de muitos nacionalinos num Vivaldão lotado. O Corinthians tinha nesse time o Zé Maria, Rivelino e o goleiro Ado, que eram todos da Seleção Brasileira. Espero que o Naça volte a fazer história amanhã (hoje) novamente”, afirmou Piola.

De acordo com Piola, que jogou no Fast, Nacional e Paysandu, até hoje as equipes do Sul e Sudeste do País, temem o calor amazônico que pode ser um aliado do Nacional, mesmo a partida sendo à noite. “Quando eu trabalhava no Flamengo o Zico cansou de conversar comigo e perguntar: como fazer para enfrentar o calor de Manaus? Eles temem muito o nosso clima amazônico. Acredito que o Nacional não pode se apavorar. Tem que jogar com inteligência e explorando os contra-ataques para matar o jogo. Eles (Corinthians) vêm pensando em matar a partida aqui e vencer por dois gols de diferença. Temos que nos aproveitar disso e impor o nosso ritmo para conquistar a vitória em casa na Arena da Amazônia”, avaliou.

Pegou carona de 785 km

A paixão dos torcedores pelo clube alvinegro rompe qualquer distância e empecilhos. Para acompanhar o clube do coração, o estudante de direito Artur Estênio saiu de Boa Vista (RR) com destino a Manaus por meio de uma “carona amiga”. Os 785 km foram percorridos dentro da cabine de um caminhão carregado de cimento. “Assim que soube que o Corinthians iria jogar em Manaus, comprei meu ingresso e vim de carreta com um amigo do meu irmão. Cheguei domingo à noite e estou na casa de um amigo. Deixei a faculdade e o trabalho em uma tapeçaria para ver o Timão”, disse o fanático torcedor que ainda driblou a segurança antes do almoço dos jogadores e foi até o banheiro registrar uma foto do atacante Guerrero, autor do gol do título Mundial. “Valeu a pena. Tive que aproveitar o momento e registrei a foto. Ele estava no celular, mas deu atenção”, orgulha-se. Arthur ainda conseguiu uma foto com Mano Menezes e Fábio Santos.

Os “loucos” da capital também marcaram presença no hotel. Três membros da Fiel Manaus, driblaram o trabalho para fazer marcação cerrada em cima dos jogadores do Timão. “Falamos com o patrão e por hoje fomos liberados”, disse.

Amor do Corinthians

A estudante Barbara Pinheiro, 22, resolveu fazer uma surpresa especial para o namorado Marcelo Rolim, 18. Apaixonada, a jovem pegou a camisa do namorado e deu para que a recepcionista entregasse aos atletas. O resultado foi um série de autógrafos na camisa. “Sou corintiano desde o berço, não esperava que ela fizesse isso. Estou tremendo e com o coração disparado”, declarou emocionado. Barbara aproveitou para tirar sarro. “Ele ficou todo bobão com a camisa (riso). O importante é que amo ele”, afirmou.