Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Sem estádio, Nacional pode ter que mandar jogos no interior

“Temos que entender que a falta de campo será para todo mundo”, disse o supervisor de futebol da equipe, Cláudio Silva

Maneca praticamente confirmou jogos amistosos em junho

Maneca ainda não sabe onde serão os mandos de campo do Nacional (Evandro Seixas)

Em contagem regressiva para estrear na competição, o Nacional segue sua preparação para estrear contra o Nacional Borbense em jogo que acontece dia 01 de fevereiro, às 15h30, no estádio Francisco Garcia, no município de Rio Preto da Eva. Nesta semana, a equipe realizará treinos em tempo integral.

Enquanto a equipe faz uma preparação que já dura aproximadamente 52 dias, a diretoria não descarta a possibilidade de fazer qualquer esforço possível para que a equipe mandar jogos na capital. “Temos que entender que a falta de campo será para todo mundo”, disse o supervisor de futebol da equipe, Cláudio Silva.

Questionado se poderia existir a possibilidade de arrendar o campo que está sendo construído pelo Fast Ulbra em seu centro de treinamento, o dirigente não descartou nem confirmou a hipótese. “Até agora, duas semanas antes da competição começar, não posso confirmar esta informação. Mas antecipo que onde for o jogo, vamos encarar”, falou o dirigente.

Dirigente quer a capital

Atual homem forte do futebol nacionalino, Manoel do Carmo Chaves, o Maneca, admitiu para a reportagem que ter que fazer as viagens seriam algo que o Nacional preferiria evitar. “É complicado falar sobre isso. Qualquer viagem é desgastante. Por mais que seja em Rio Preto da Eva. O município é perto, mas a viagem é desgastante”, disse o dirigente.

Questionado se poderia ou não autorizar o arrendamento do estádio do Fast Clube para mandar jogos do Nacional, o cartola afirmou que existe a possibilidade. “Se o estádio for realmente liberado e tiver todos os critérios de segurança, autorização do Corpo de Bombeiros e segurança, será ótimo”, disse o cartola.

O dirigente não descartou ainda a hipótese de mandar os jogos na capital. “Ainda vamos conversar com o doutor Roberto Tabores, pois soube que o campo do balneário do Sesc (localizado no bairro Planalto) está pronto e quase disponível para uso. É uma possibilidade que não descartamos. Mas daqui até o início do campeonato muita coisa pode acontecer. Ainda faltam duas semanas”, disse o diretor.