Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Campeonato Amazonense é marcado por orgulho e esperança

Diretoria do Princesa do Solimões premia, com R$ 50 mil, os jogadores e a comissão técnica pela conquista do primeiro turno do Estadual. Lana, técnico do Fast Clube, e o novo comandante técnico do Nacional miram na ‘esperança’

Jogadores do Princesa exibiram com orgulho o prêmio nas redes sociais

Jogadores do Princesa exibiram com orgulho o prêmio nas redes sociais (Ozy Araujo/Ozy Comunicações/Divulgação)

Título na mão e dinheiro no bolso. É assim que está o clima no Princesa do Solimões depois da conquista do primeiro turno do Campeonato Amazonense 2014, que garantiu o Tubarão na final do Estadual e na Copa do Brasil de 2015 e rendeu aos jogadores e a comissão técnica um “bicho” de R$ 50 mil. A gratificação foi paga nesta segunda-feira (24) pelo diretor de futebol do clube, Rafael Maddy, logo depois do treino realizado no estádio Gilberto Mestrinho, o Gilbertão.

De acordo com Mady, o prêmio foi mais do que merecido pelo esforço dos jogadores e da comissão técnica que honraram a cidade de Manacapuru e alegraram a torcida do Princesa do Solimões com mais um título na história do clube.

“Estou saindo agora para deixar com o grupo o prêmio de R$ 50 mil que será dividido entre os 28 jogadores e os nove membros da comissão técnica que mereceram pela conquista do primeiro turno do Campeonato Amazonense. Vou sugerir a eles que a divisão siga o critério de pagar um pouco mais aos jogadores que mais atuaram durante as partidas e um percentual menor para aqueles que não estavam jogando. É uma sugestão”, afirmou Mady entusiasmado com o bicho que seria pago aos jogadores.

RETORNO

Depois da euforia e das comemorações pelo título do bicampeonato do primeiro turno, a Taça Estado do Amazonas, os jogadores do Princesa retornaram ontem aos treinamentos, já pensando na partida de quara-feira, contra o Nacional Borbense. Rafael Maddy disse que os jogadores querem se despedir do Gilbertão - que entra em reforma no gramado, vestiários e instalação de postes e refletores a partir da quinta-feira - com mais uma vitória, já que os dois últimos jogos terminaram empatados.

“A equipe vem de uma maratona de jogos pelo Estadual e Copa Verde, mas já estamos pensando no segundo turno. Alguns jogadores estão voltando de contusão como foi o caso do Nando, Rondinelli e Lídio que jogaram no sacrifício contra o Fast e outros ainda estão no departamento médico. Mas o grupo está motivado. Contratamos mais um goleiro, o Eduardo, que veio do Penarol. Queremos nos despedir do Gilbertão que vai passar 90 dias em reforma com vitória contra o Nacional Borbense. Acredito que depois dessa partida só devemos jogar em casa na Série D do Brasileiro”, afirmou o cartola.

Treinador retoma o trabalho

Passada a euforia pelo título, a ordem do técnico Marcos Piter, no Princesa do Solimões, é muito trabalho. Nesta segunda-feira os jogadores participaram de um coletivo no Gilbertão já visando a partida contra o Naça Borbense. “Não vou poupar ninguém. Vamos com a força máxima pra cima do Nacional Borbense que é uma equipe perigosa. A comemoração pela conquista do título do primeiro turno já é coisa do passado. O time deles foi o único que conseguiu nos vencer no primeiro turno e foram a sensação, derrotando o Nacional e o São Raimundo. Por isso, estamos focados para não sermos surpreendidos. Devo repetir o mesmo time que jogou contra o Fast”, afirmou o treinador.

Já o atacante Nando admitiu que os jogadores sentiram o cansaço pela maratona de jogos pela Copa Verde e Estadual, mas que o foco continua de brigar pelo título do segundo turno para conquistar o Campeonato Amazonense por antecipação.

“Com certeza os jogadores sentem o desgaste depois de uma decisão. Mas somos profissionais e já estamos focados no segundo turno e na partida contra o Nacional Borbense. Vamos buscar a vitória para começarmos o returno com tranquilidade. O bicho foi pago hoje (ontem) e ficamos felizes. Foi uma ajuda boa que veio em ótima hora”, afirmou o atacante do Princesa.

Lana não muda esquema

Vida dura essa dos torcedores do Fast Clube. Há 43 anos sem vencer um título amazonense, o clube fez um bom começo de temporada e chegou à final do primeiro turno, ansiando pelo título da Taça Estado do Amazonas, que de quebra garante uma vaga na final do Amazonense. Mas esbarrou no atual campeão Princesa do Solimões, que levou a melhor e gerou frustração geral entre os fastianos.

“O clima realmente é de tristeza. A cabeça baixa um pouco sim, mas temos que ver o presente e o futuro. A vida é assim mesmo. Agora é trabalhar...”, declarou o comandante técnico do Fast, Aderbal Lana, que defendeu o elenco e ressaltou que o desempenho do seu time foi prejudicado pelas péssimas condições do campo, o Gilbertão, em Manacapuru.

Por outro lado, o manda-chuva do esquema tático fastiano acredita que, apesar das condições adversas, o seu time merecia a vitória porque rendeu mais dentro de campo. “O campo foi ruim para os dois lados, mas mesmo assim trabalhamos melhor a bola e tivemos muitas chances de gol. Se a bola não entrou, paciência”, disse Lana.

Mas se a chuva da final da Taça Amazonas se convertou em um banho de água fria para o Fast, pode-se considerar que a campanha do primeiro turno sinaliza que o time Tricolor é um dos fortes candidatos para o título amazonense. “Acho que a nossa postura foi uma postura comprometida e vamos continuar desta mesma forma”, declarou o treinador, que proferiu palestra aos jogadores no retorno aos treinamentos nesta semana, com foco na motivação para a segunda fase do Amazonense. “É levantar a cabeça e olhar pra frente”, finalizou.

 

Naves passa experiência

Depois de fazer história no futebol paraense, ao conquistar três títulos estaduais (Paysandu em 2005, Independente de Tucurui em 2011 e Cametá em 2012), o técnico Sinomar Naves, 58 anos, ex-Santa Cruz (PA), assume nesta terça-feira (25) o comando do Nacional para disputar o segundo turno do Campeonato Amazonense e a Copa do Brasil. O novo treinador do Naça se apresenta logo mais à tarde no CT Barbosa Filho, ocupando a vaga deixada por Francisco Diá que pediu demissão depois do empate em 1 a 1 contra o Manaus no último domingo.

Com pouco tempo para implantar sua filosofia de trabalho, Sinomar sabe que terá que trabalhar muito para ajustar o time azulino para o próximo desafio pelo Estadual contra o Sul América no dia 29. “Não se muda radicalmente a forma de jogar. Não há tempo. Ainda não posso adiantar como vou armar a equipe. Isso depende das características dos jogadores. Gosto do time equilibrado nos três setores (defesa, meio-campo e ataque). Não existe uma equipe apenas defensiva ou que jogue somente atacando”, explicou Naves.

Sobre a pressão da torcida nacionalina que está insatisfeita com os últimos resultados do time, cobra vitórias e o título de campeão, o novo treinador foi enfático. “Quero ter uma fase boa de títulos aqui no Amazonas. A pressão da torcida é normal. Isso se muda com resultados e títulos”, afirmou o treinador nacionalino.