Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Verbas públicas devem ser negadas a clubes envolvidos em casos de assédio sexual

Projeto de lei, de autoria do vereador Ednaílson Rozenha (PSDB), será protocolado na Câmara Municipal de Manaus (CMM) no dia 10 de fevereiro

Apesar do drama, eles resistem em busca do sonho

Reportagem do CRAQUE causou bastante indignação (Winnetou Almeida)

O vereador Ednaílson Rozenha (PSDB), de 37 anos, pretende apresentar uma proposta de lei que proíbe clubes de futebol locais que mantenham na folha funcional dirigentes, treinadores, preparadores físicos e auxiliares técnicos envolvidos em crimes de exploração sexual, aliciamento ou assédio de menores de receberem qualquer tipo de financiamento público do Município.

Conforme o autor, o projeto será protocolado na Câmara Municipal de Manaus (CMM) no dia 10 deste, na volta do recesso parlamentar, quando receberá um número e será encaminhado à deliberação em plenário para tramitar nas comissões pertinentes (CCJ, economia e finanças e esportes).

Tramitação

Vice-líder do prefeito na CMM, Rozenha, que também preside a Comissão do Esportes na Casa, disse que o projeto vai tramitar em regime de urgência no legislativo, e que a elaboração da lei foi motivada pela publicação no jornal A CRÍTICA da reportagem especial denominada “Jogo sujo: um retrato da exploração sexual nas categorias de base do futebol de Manaus”, publicada no mês passado, e que teve grande repercussão.

“Tínhamos que tomar alguma providência no que se refere ao Município. A proposta é oportuna porque o assunto gerou muita indignação. Nos inspiramos para a elaboração da lei na bela reportagem que o jornal A CRÍTICA fez sobre essa questão da pedofilia na base do futebol”, afirmou o parlamentar, que também é presidente do Fast Clube.

Questão antiga

Para a elaboração da proposta, Rozenha contou com a ajuda de assessores e mandou fazer um levantamento interno dos clubes locais que tenham ou já tiveram casos de crimes contra menores.

O tucano disse que isso não acontece em todos os clubes, mas admitiu que os casos não são novidades e perduram por muito tempo. Rozenha pretende aprovar seu projeto de lei o mais rapidamente possível.

“Vou me empenhar pessoalmente para convencer meus pares a votar a favor e dar celeridade nesse projeto. Essa questão (exploração nas categorias de base) já é antiga no futebol”, garantiu o vereador, que tem dois filhos, Isabela, 7, e David, 8.