Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Caprichoso abre última noite do Festival de Parintins 2014 com o espetáculo 'Terra Brasilis'

Internauta, venha se encantar com um dos mais belos festivais folclóricos do Brasil, por meio de imagens, vídeos e textos, atualizados constantemente pelas equipes presentes no Bumbódromo do município amazonense. Atualize a página quando quiser para mais informações! Interatividade também estará presente no nosso Facebook (Portal A Crítica), Twitter (@acritica) e Instagram (@portalacritica)

Caprichoso fecha segunda noite emocionando a galera em Parintins

Caprichoso, na sua segunda apresentação, emocionou a galera em Parintins (Antonio Lima)

Leia de baixo para cima

CONFIRA GALERIA DE IMAGENS

ACABOU! Dez minutos após o prazo estipulado para esta noite, o Caprichoso encerrou sua derradeira apresentação no Bumbódromo de Parintins. Lembrando que a noite não conta pontos para nenhuma das agremiações folclóricas.

Depois de pouco mais de duas horas de apresentação, os brincantes e os itens oficiais iniciaram sua despedida ao som da toada "O ritmo é de boi". Logo depois, os operários do bumbá azul e preto tomaram a arena e fizeram uma grande festa. Gritos em coro de "É campeão" partiram da galera e ganharam o Bumbódromo.

Rainha do Folclore, Item 8, Brena Dianná, surgiu em alegoria da Lenda Amazônica "Filhas de Yaci", Item 17, alegoria com ninfas.

Pajé do Caprichoso, Waldir Santana, Item 12, se apresenta na arena do Bumbódromo com tribos.

Com o relógio marcando 1 hora e 30 minutos de apresentação, o boi-bumbá Caprichoso (item 10) evolui na arena do Bumbódromo.

Logo após uma embarcação em homenagem a São Pedro, santo guardião do céu celebrado neste domingo (29), "navegar" entre a torcida azulada, a terceira alegoria do Caprichoso entrou na arena. Brenda Dianná, rainha do folclore do bumbá, evoluiu plenamente no espaço frontal do local.


Com passos tímidos, a cunhã-poranga Maria Azedo (item 9) entrou na arena sob chuva e consegue fazer uma evolução emocionante. Logo depois, ela foi seguida pelos Tuxauas - representantes de etnias indígenas com grandes cocares alegóricos. Na arquibancada, uma gigante cobra serpenteia pelo público.

Entra, numa segunda alegoria, o pajé Waldir Santana, para sacramentar o casamento tribal. Com o mesmo efeito pirotécnico visto nos dois dias anteriores, ele desce até a arena e é acompanhado por canoas indígenas, ainda como parte da cerimônia.


O noivo indígena guerreiro adentra a arena carregado por uma tribo inteira, que representa o item número 13. "Mística Aldeia" ecoa pelo Bumbódromo, e é reverenciado pelos demais brincantes da arena.

Um casamento inter-tribal do Alto rio Negro, noroeste amazônico, é representado pelo Caprichoso nesta última noite. Dançarinos representam as  oito tribos da região para a cerimônia indígena.


A galera, em unissom e "fazendo o banzeiro" canta a capella junto com David Assayag e Arlindo Júnior. Entram, então, os vaqueiros da floresta, concorrendo ao item de número 18 Vaqueidada, que representam os guardiões do boi-bumbá.

É a vez da porta-etandarte se destacar na arena, concorrendo ao item 5. Rayssa Tupinambá dança e sensualiza no Bumbódromo ao som de toada: "Eu sou, eu sou filho dessa terra. Eu sou, eu sou Caprichoso".


A primeira alegoria do Caprichoso é retirada da arena, mas o local segue lotada por brincantes, enquanto outros se organizam para entrar. Ainda chove em Parintins, apesar de mais fraco. 

O amo do boi, interpretado por Júnior Paulain e concorrendo ao itemd e número 6, levanta ainda mais a galera, que empunha bandeiras azuis. Começa, então, a evolução do boi-bumbá de pano, item número 10.


Itens oficiais entraram na arena do Bumbódromo pelo chão - diferentemente do que estava previsto. A Exaltação Folclórica "Festa de um boi brasileiro", primeiro alegoria da noite, entrou mesmo assim, apesar da figura principal ter sido danificada durante o temporal.

Com a presença também do levantador de toadas David Assayag e de dançarinos, inclusive diversos bois de panos representando o bumbá Caprichoso, a arena recebeu a Sinhazinha da Fazenda Karyne Medeiros.

Com duas horas de atraso, o Caprichoso se prepara para iniciar a sua última apresentação no Festival Folclórico de Parintins neste ano. A ex-cunhã do bumbá, Daniela Assayg, chamou o apresentador e amo do boi Júnior Paulain, para a alegria da galera.


É OFICIAL! A Secretaria de Estado de Cultura (SEC) confirmou que esta terceira noite não terá disputa. A decisão foi tomada após reunião entre as duas agremiações folclóricas e Robério Braga, titular da SEC, no Bumbódromo. 

Leia matéria sobre o atraso da terceira noite do 49° Festival Folclórico de Parintins, neste domingo (29)


Os dois bumbás terão, no entanto, apenas duas horas de apresentação cada - 30 minutos a menos do que o habitual. Os músicos já estão na arena e estão preparando os instrumentos.

Exatamente às 21h40 - com uma hora e 40 minutos de atraso - teve início o 49° Festival Folclórico de Parintins, com um Mestre de Cerimônias animando a galera. Segundo informações extra-oficiais, a terceira noite não deve contar pontos: o resultado do Festival dependeria apenas das duas primeiras noites de apresentação.

De acordo com os Bombeiros, o setor das arquibancadas já está seguro. Equipes de apoio do Bumbódromo iniciaram há pouco trabalhos de limpeza e secagem na arena, para garantir a segurança no local. Uma tenda está sendo montada para proteger a banda do Caprichoso na arena.


"Nós fizemos uma reunião com ambas as comissões e disse que, pela TV, não haveria problema nenhum. Estamos esperando, fazendo ajustes com a grade da Record News - que está sofrendo bastante. Mas em relação a TV A Crítica, estamos aqui e vamos ficar de prontidão para transmitir o festival. Vamos cumprir com o que é mais importante, que é a nossa missão de levar a nossa cultura ao restante do Brasil", garantiu.

Para Dissica Calderaro, diretor-presidente do sistema de Rádio e TV da Rede Calderaro de Comunicação (RCC), o maior prejuízo é do telespectador, que estava em casa esperando o início da transmissão e que, por conta da chuva, não aconteceu. 


A questão dos pontos deve ser decidida em outro momento, ainda de acordo com o presidente do boi do coração vermelho: "Depende do interesse de cada associação. Existe algumas coisas técnicas e internas do próprio boi, como alegorias, que utilizam muita parte elétrica e por isso não há como decidir nesse momento se valerá ou não pontos".

Telo Pinto e a diretoria do Garantido se reuniam com Robério. Segundo Telo, "a apresentação tem que haver por respeito ao público, as galeras, as pessoas que compram camarote e a todos quem vêm prestigiar o Festival. A apresentação dos bumbás é pertinente, tem que acontecer. Vamos esperar o mau tempo passar e vamos nos apresentar".


Já para Markinho Azevedo, tripa doi boi da estrela azul há 22 anos, a apresentação vai começar assim que o temporal cessar. "A gente não pode ir contra a natureza. Isso é coisa de Deus, coisa do nosso Estado, mas não vai prejudicar nossa apresentação. Vamos fazer um espetáculo bonito, mas com muito cuidado, é claro: vamos limitar nossos passos e danças por contra da arena estar alagada, mas não deve prejudicar a gente nem o boi contrário", acredita.

De acordo com Joilton Azevedo, presidente do bumbá, "há 80% de chances de só as duas primeiras noites contarem pontos". "Não tem nada resolvido ainda, estamos aguardando a diretoria do Garantido para entrarmos em um acordo", disse. Ele assegurou, no entanto, que a apresentação só iniciará após a chuva acabar, por conta de risco de eletrocutação e mal desempenho da iluminação cênica

De acordo com Robério Braga, titular da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), o espetáculo não será cancelado. "Vai ter festival", limitou-se a dizer, enquanto vistoriava a arena do Bumbódromo.


Segundo informações da assessoria de imprensa do Caprichoso, a primeira alegoria a ser apresentada na noite sofreu danos por causa do temporal. Equipes de apoio do Bumbódromo iniciaram há pouco trabalhos de limpeza e secagem na arena, para garantir a segurança no local.

De acordo com o parágrafo 1 do mesmo artigo, fica concedido tempo de 30 minutos para que a associação folclórica dê início à sua apresentação, a partir do momento da solução formal do impedimento. No momento, já são 45 minutos de atraso.


Segundo o Artigo 16 do Regulamento do Festival Folclórico de Parintins 2014, a chuva é um dos fatores citados que podem fazer com que as apresentações comecem foram do horário previsto, sem prejuizo da pontuação, por ser um "obstáculo que impeça ou coloque em risco a segurança pessoal dos brincantes efetivamente". 

Chove muito forte em Parintins. A apresentação do Caprichoso, a primeira da noite, estava prevista para 20h, porém ainda não teve início. Ainda não há previsão.


Nesta última apresentação, o boi azul fará um passeio pelo sincretismo das diversas manifestações culturais brasileiras que têm na religião a sua fonte. O Caprichoso vai mostrar que, em cada um desses folguedos (incluindo o próprio boi-bumbá), existe a força de um povo que se reveste de cores, sons e cantorias.

Neste domingo (29), o Boi Caprichoso encerra a sua participação no 49º Festival Folclórico de Parintins com a apresentação de “Terra Brasilis”, último ato do espetáculo “Amazônia Táwapayêra”, que levou ao Bumbódromo as diversas faces do misticismo amazônico.

FIQUE LIGADO!