Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Chuva não desanimou e Caprichoso abriu última noite do Festival 2014 emocionando

Temporal danificou alegorias e atraspu início do espetáculo em duas horas. O bumbá da estrela azul, no entanto, fez um grande espetáculo com o sub-tema "Terra Brasilis" em noite que não contou pontos

Caprichoso abre última noite do Festival após atraso de duas horas. Chuva atrasou o início da festa neste domingo.

Caprichoso abre última noite do Festival após atraso de duas horas. Chuva atrasou o início da festa neste domingo. (Marcio Silva)

A forte chuva que caiu sobre Parintins esta noite não impediu o boi-bumbá Caprichoso de apresentar um belo espetáculo na terceira e última noite do 49º Festival Folclórico de Parintins. Só depois de uma 1h30 de atraso, o Bumbá Azul pôde entrar na arena, mas a apresentação não vai valer pontuação, de acordo com o acordado entre os bumbás. E mesmo debaixo de chuva, a Galera não arredou o pé da arquibanca, o que deu mais fôlego ainda ao  Boi Caprichoso.

Na noite em que as manifestações folclóricas foram homenageadas, o Levantador de Toadas David Assayag entrou  no Bumbódromo representando o rei do Baião, Luiz Gonzaga, ao som da música “Asa Branca”.  Em seguida, a canção foi emendada nas toadas “Boi Brasileiro” e “O ritmo é de Boi”. 

Como subtema, o Caprichoso apresentou o espetáculo  “Terra Brasilis”, mas devido a chuva, alegorias como a da Exaltação Folclórica “Festa de um Boi Brasileiro”, que traria itens como a Sinhazinha da Fazenda, Karyne Medeiros, não puderam evoluir devidamente, por questão de segurança. “Nós apresentamos apenas 70% do que tínhamos preparado para essa noite. Mas tivemos problemas e a vida é mais importante de ser preservada”, admitiu o presidente do Bumbá Azul e Branco, Joilto Azêdo.


Vários momentos marcaram a apresentação do Caprichoso como  a ajuda da Galera. Entre eles, o surgimento do Boi no meio da arquibancada que fez os brincantes vibrarem, assim como o aparecimento de uma cobra gigante que andou por cima das pessoas, como se estivesse no rio Amazonas. Além disso, a uma romaria à São Pedro também navegou entre a Galera, o que abrilhantou ainda mais a noite.

A celebração tribal da noite mostrou o casamento intertribal entre um índio guerreiro Baré e a guerreira Dessana, ambos originários de tribos do Alto Rio Negro. A Celebração foi conduzida pelo Pajé Waldir Santana,  e no fim da cerimônia, a guerreira se transformou da Cunhã Poranga, Maria Azêdo.

Já a Rainha do Folclore, Brena Dianná, surgiu das mãos da alegoria que representou a lenda amazônica “Filhas de Yaci’.  Em seguida, o ritual indígena “Mirakãwéra” chamou atenção até dos brincantes do Boi Contrário. A história remete ao inicio da colonização de Parintins, onde, por causa de uma maldição,  pessoas que eram crucificadas de cabeça para baixo e comidas vivas por formigas de fogo. Por conta dos problemas causados pela chuva, apenas o item Figura Típica Regional não foi apresentado.


Apesar do imprevisto, o presidente do Caprichoso avaliou que o Bumbá deu o melhor de si dentro da arena e fez uma excelente festa. “O Caprichoso veio volumoso, em uma noite inspirada. Com certeza hoje seria uma noite decisiva”, afirmou Azêdo. 

Para o tripa do Boi, Marquinhos Azevedo, a chuva não foi empecilho e ele acredita na vitória.  “A chuva é algo divino e não vai prejudicar. Vamos fazer uma apresentação maravilhosa e essa chuva vai fazer as pessoas saírem de alma lavada daqui”, afirmou ele. 

CONFIRA GALERIA DE IMAGENS