Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Adolescente é apreendida ao tentar entrar na UPP com documento falso, em Manaus

Jovem afirmou que pretendia visitar o namorado, que é presidiário, mas teria conseguido identidade com outra mulher. Garota foi levada à Deaai e liberada após os pais assinarem termo de responsabilidade

Adolescente tinha o objetivo de entrar com documento falso para visitar namorado

Adolescente tinha o objetivo de entrar com documento falso para visitar namorado (Luiz Vasconcelos/AC)

Uma adolescente de 14 anos foi apreendida nesta sexta-feira (8) tentando entrar com documento falso, na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), no bairro de mesmo nome, na Zona Leste. Segundo a Polícia Civil, a garota queria visitar o namorado, que é presidiário.

Durante o processo de cadastramento, os agentes perceberam que a documentação apresentada pela  a menina pertencia a outra pessoa (esta sim, de maior idade) e a questionaram. A garota acabou revelando que teria pegado a identidade com uma outra mulher, identificada como Cristiane da Silva, que também estava aguardando para visitar um detento. 

A Sejus informou ainda que a adolescente teria dito que Cristiane havia prometido dar um dinheiro a ela caso conseguisse entrar no presídio. Ainda segundo a Secretaria, esta semana foi aberto um cadastramento para novos visitantes devido às atividades realizadas durante a semana do preso, e, por conta disso, a adolescente teria se aproveitado dessa oportunidade para entrar na unidade prisional.

A adolescente foi encaminhada à Delegacia Especializada em Apuração a Atos Infracionais (Deaai), na Zona Centro-Oeste. Na delegacia, a adolescente mudou a versão do depoimento e confessou que queria entrar na unidade prisional para visitar o namorado. Ela foi liberada após os seus responsáveis assinarem um termo de responsabilidade.

Cristiane também foi ouvida e liberada, mas a Polícia Civil vai abrir uma investigação porque a identidade que a mulher deu à adolescente pertencia a uma terceira pessoa.