Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Alternativos da ZL ignoram delimitação da Prefeitura

Microônibus que são restritos à Zona Leste fazem até ponto final no Nova Cidade; SMTU pretende retirar os veículos ainda esta semana

Os ‘amarelinhos’ circulam livremente pela avenida Margarita, no bairro Nova Cidade

Os ‘amarelinhos’ circulam livremente pela avenida Margarita, no bairro Nova Cidade (Evandro Seixas)

A proibição do tráfego de microônibus do modal Alternativo em outros pontos da cidade que não sejam dentro do perímetro da Zona Leste, há algum tempo, tem sido ignorada. Pelas regras determinadas pela Prefeitura para a circulação desses veículos, os “amarelinhos” são restritos a bairros da Zona Leste até a área próxima ao Centro Cultural Povos da Amazônia (Bola da Suframa) - espaço geográfico que faz limite com a Zona Sul.

Na avenida Margarita, bairro Nova Cidade, Zona Norte, cooperativas que atuam no sistema de transporte Alternativo estacionam os veículos em uma praça e usam o ponto como terminal. Os microônibus fazem itinerário para os bairros Grande Vitória e Zumbi, ambos na Zona Leste.


Os veículos ficam estacionados bem próximo à curva onde carros de passeio que saem da avenida Curaçao (foto) acessam a avenida Margarita e, próximo à rotatória que recebe um grande fluxo de veículos.

Além do intenso fluxo de carros, devido a estabelecimentos comerciais ali instalados, como por exemplo uma loja de supermercado de uma grande rede do segmento, pela área também circulam ônibus do sistema de transporte convencional e microônibus do modal Executivo, que possui autorização para circular na Zona Norte.

Motoristas que trafegam pelo local reclamam dos transtornos por não se tratar de uma região adequada para o terminal de microônibus. “Numa via movimentada como essa não se pode ter esse tipo de gargalo. Mas eles não estão nem aí se algum motorista reclama”, disse o eletricista Geraldo Oliveira, 49.

A vendedora Rosana Gonçalves, 33, também reclama do que ela chama de abuso. “Sei que há uma demanda de usuários desse tipo de transporte aqui na área, mas se já estao circulando fora da zona deles, deveriam ao menos evitar esse tipo de problema”, falou.

Por outro lado, os usuários desse modal de transporte coletivo defendem uma alternativa para que os ônibus Alternativos possam continuar operando na região. “Aqui é um ponto estratégico pra atender quem precisa desse tipo de transporte, mas se foram tirar este, que coloquem outro perto daqui”, disse a diarista Cleide Moraes, 41.

O superintendente municipal de Transportes Urbanos, Pedro Carvalho, afirmou que os Alternativos não poderão continuar atuando neste ponto e deverão ser retirados, ainda esta semana. “Eles têm direitos e deveres, e devem circular somente na Zona Leste. E a licitação desse serviço e do Executivo será feita justamente de normalizar mais ainda as coisas”, disse.

Em novembro de 2013, a prefeitura publicou o Decreto nº 2.639, no Diário Oficial do Município (DOM) e detalhou as regras que deverão ser seguidas pelos permissionários