Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Homem é morto em avenida após ser confundido como PM, em Manaus

Carlos Lacerda foi atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu aos ferimentos. A vítima foi morta com três tiros pelo corpo em plena Avenida das Torres

A vítima foi morta com três tiros pelo corpo em plena Avenida das Torres

A vítima foi morta com três tiros pelo corpo em plena Avenida das Torres (Josemar Antunes/Divulgação)

O vigilante Carlos Lacerda Milenio Trindade, 39, foi assassinado com três tiros à queima roupa, por volta das 20h40, desta terça-feira (12), na Avenida Governador José Lindoso (Avenida das Torres), no bairro Boas Novas, Zona Norte de Manaus.

A vítima conduzia uma motocicleta da empresa IN Tecnologia, prestadora de serviços de vigilância, modelo Honda CG 150 Fan, cor preta, placa NOS-1998, quando teve sua moto interceptada por um veículo não identificado na via. Ele foi alvejado com dois tiros no tórax e um no braço esquerdo.

Segundo uma moradora, que escutou os disparos de arma em sua casa, os suspeitos foram rápidos. "Eu pensei que fosse fogos de artifício, corri pra ver o que era e vi um carro modelo Corsa, de cor vermelha, placa não identificada parado e dois homens atirando nele e fugiram ligo em seguida", contou.

Policiais Militares do Batalhão Manaus Mais Segura, chegaram ao local após serem acionados por populares. Segundo o soldado Frank Alex, a vítima ainda estava respirando. "Recebemos a informação que um homem foi atingido por vários tiros nas proximidades da via e estava caído no chão. Acionamos o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), mas ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local", disse o soldado.

Segundo as informações da perícia criminal da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), a hipótese é que o homem tenha sido confundido como policial militar, já que a farda e o acessório "uma lanterna", com características de um revólver, utilizado pelo vigilante são idênticos ao fardamento e equipamento da PM. "Ainda é cedo afirmar o que levou a morte do vigilante, mas tudo indica que ele foi confundido como policial militar, mas vamos investigar o caso e se há outra motivação para o crime", declarou o investigador da Polícia Civil.

Um amigo de Carlos Lacerda, o também vigilante Augusto César, 40, disse que eles estavam realizando uma ronda nos arredores do bairro. "Estávamos monitorando as escolas e residências da área em diferentes pontos. Eu fui para  um local e ele foi para o outro, quando recebi uma ligação que meu amigo estava morto", comentou.

O corpo da vítima foi removido para o Instituto Médico Legal (IML), na Cidade Nova, Zona Norte da capital. O crime foi registrado no 6o Distrito Integrado de Polícia (DIP), também no mesmo bairro e o caso será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), bairro Jorge Teixeira, Zona Leste da cidade.

Colaborou: Josemar Antunes*