Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Números de veículos em Manaus continua crescendo

Em dois meses, a frota engordou em 10 mil novas unidades, enquanto isso, as ruas permanecem do mesmo tamanho

Frota de veículos cresceu, mas ruas continuam do mesmo tamanho e a consequência são os seguidos congestionamentos

Frota de veículos cresceu, mas ruas continuam do mesmo tamanho e a consequência são os seguidos congestionamentos (Euzivaldo Queiroz)

Com quase dois milhões de habitantes, Manaus cresceu e com ela os problemas. No trânsito principal motivo de reclamação de motoristas, a cidade é considerada ainda uma província que não adaptou as vias a grande quantidade de veículos que todos os anos chega as ruas.

De acordo com Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran), somente nos dois primeiros meses do ano 10 mil veículos entraram no sistema do órgão, foram cinco mil carros, motos e caminhões novos por mês que trafegam pelas ruas da cidade e transformam o trânsito numa briga diária por espaço. Ainda de acordo com o Detran a frota de veículos do estado já alcançou a marca de 750 mil, sendo que Manaus concentra 685 mil veículos.

Segundo o diretor-presidente do Detran, Leonel Feitoza, do total de veículos da cidade muito pouco deixa o sistema por estar velho ou outro problema e isso acontece em decorrência das facilidades de pagamento que faz com que cada vez mais pessoas realizem o sonho do carro.

Como alternativa para melhorar o trânsito da cidade o Detran pretende apresentar para o Instituto Municipal de Engenharia de Trânsito (Manaustrans) um projeto que pretende transforma avenidas como Djalma Batista, Constantino Nery e Torquato Tapajós em mão única nos horários de pico. O presidente explica que essa alternativa é usada em outras cidades e que o órgão está concluindo o projeto para então, apresentar a proposta ao Manaustrans. “O projeto pretende, por exemplo, colocar a avenida Djalma Batista no horário da manhã somente no sentido Centro-Bairro e a Constantino Nery Bairro-Centro”, acrescentou.

Leonel Feitoza considera que essa é uma boa alternativa, já que o custo da desapropriação de terra para o alargamento das ruas é alto e demanda tempo para a conclusão do trabalho.

Para quem precisa enfrentar os congestionamentos a falta de ruas largas é dos principais problemas apontados. Segundo o promotor de vendas Augusto Correa, 45, enquanto há seis anos atrás o percurso de casa para o trabalho era feito em 20 minutos, hoje para ir para o mesmo destino é preciso 45 minutos. “Eu não mudei de casa continuo morando no mesmo bairro, mas a quantidade de carros aumentou e a cidade não se adaptou”, disse o promotor de vendas.

Outro problema apresentado pelos motoristas além da grande quantidade de carros é a chegada do sistema Bus Rapid Sytem (BRS) instalado na avenida Constantino Nery e acabou retirando um lado da via para os ônibus que fazem parte do sistema. “Os carros precisam se ‘espremer’ em um lado da via por que não há um planejamento sobre o espaço do local”,disse Augusto Correa.


Em números

685 Mil é a frota de veículos somente em Manaus, desse total 175 mil são motocicletas e 150 mil é de outros veículos como caminhões e ônibus. Para o presidente do Detran, Leonel Feitoza, com o crescimento da cidade a tendência é que a quantidade aumente cada vez mais.

Saiba mais

Ciclovias

Os ciclistas também reivindicam espaço para trafegar nas ruas de Manaus. Segundo o coordenador do Pedala Manaus, Paulo Aguiar, a prefeitura está trabalhando, mas o trecho de ciclovia que começou a ser construído é pouco para o tamanho da necessidade.

Compartilhar

A alternativa de acordo com Paulo Aguiar é o compatilhamento de via, mas para que isso aconteça de forma eficaz é preciso realizar um trabalho de educação no trânsito. “O problema no trânsito afeta todos os envolvidos, mas na questão das bicicletas se os motoristas se conscientizassem que podem, por exemplo, afastar pra um ciclista passar tudo seria melhor”, disse o coordenador.

Acessórios

De acordo com Paulo Aguiar em conversa com outros ciclistas é possível perceber uma queda na venda de bicicletas no último ano, porém existe um crescimento na venda de acessórios, isso significa que as pessoas estão somente fazendo a manutenção dos equipamentos.