Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

MPF envia representação contra Eduardo Braga e Sabino à PGR

Ministério Público Federal recebeu denúncia feita por morador de Maraã, no interior do Amazonas, contra os candidatos. O órgão encaminhou o caso para análise do procurador-geral da República, em Brasília, já que Braga e Sabino têm foro privilegiado

O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) encaminhou nesta terça-feira (29) ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, uma representação contra o senador Eduardo Braga (PMDB) e o deputado federal Sabino Castelo Branco (PTB) feita por um fotógrafo que relata ter sido agredido e ameaçado durante carreata em Maraã (município a 635 quilômetros de Manaus). 

Joel Reis da Silva, o fotógrafo autor da representação, entregou ao MPF um vídeo de celular onde, segundo ele, há prova da agressão. Nas imagens, publicadas desde segunda-feira (28) em redes sociais, é possível ver o senador Braga descendo de um carro em uma comitiva em Maraã e caminhando em direção a Joel. Braga some da tela por uns instantes e em seguida aparece, de costas, abraçado a Joel.

Quando os dois se viram de frente para a filmagem, nota-se que Braga, na realidade, está segurando o fotógrafo. O senador tenta pegar o equipamento fotográfico de Joel. Nesse momento, Sabino Castelo Branco e assessores dos políticos, um deles identificado na representação como Ubiracy Bezerra de Araújo, motorista de Braga, se aproximam.

Ubiracy, então, dá um puxão com força na câmera, mas é aparentemente contido pelo próprio Braga, que fazendo um movimento negativo com a cabeça, vira Joel para o outro lado. Joel, o tempo todo, segura o equipamento. Um outro rapaz, que também seria assessor de Braga percebe que tudo está sendo filmado e interrompe a gravação. 

"A apuração de eventual prática de crime caberá ao procurador-geral da República em função de os supostos autores das condutas que motivaram a representação ocuparem os cargos de senador da República e de deputado federal, gozando, portanto, de foro por prerrogativa de função junto ao Supremo Tribunal Federal", explica nota do MPF encaminhada à imprensa.

Resposta

O senador Eduardo Braga se pronunciou a respeito do episódio durante a madrugada desta terça-feira (29). Em sua página de campanha no Facebook, ele denuncia estar sendo "vigiado" por elementos não identificados durante visitas ao interior. O objetivo, segundo Braga, é filmar servidores públicos que apoiam sua candidatura para depois prejudicá-los.

“Isso, na verdade, tem sido uma prática costumeira. Indignado com a atitude desprezível desses agentes infiltrados, no estilo do antigo SNI, pagos para fotografar e gravar imagens de funcionários, desci do carro para falar com ele.  Um companheiro de nossa equipe não entendeu a situação e tentou tirar a câmera do rapaz. Impedi e disse: ‘Não, não faça isso. Larga a câmera dele’”, conta em um trecho da publicação.

O parlamentar ainda afirma que o vídeo foi editado por adversários, pois, segundo ele, a situação terminou com a câmera sendo devolvida ao fotógrafo.