Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Servidores do HUGV protestam contra fechamento do centro de Hemodiálise e anúncio de demissões, em Manaus

Os trabalhadores que devem ser demitidos realizaram na manhã desta quinta-feira (31), uma manifestação em frente ao HUGV para chamar atenção da sociedade sobre o fechamento do centro de Hemodiálise

Hospital Universitário precisa receber reformas

Hospital Universitário Getúlio Vargas (Ney Mendes)

Os servidores do Centro Integral de Nefrologia (centro de Hemodiálise) do Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV) se reuniram na manhã desta quinta-feira (31), em frente ao hospital, em uma manifestação para chamar atenção da sociedade por conta do fechamento da unidade hospitalar que realiza cerca de onze mil atendimentos ao ano. Além de demissão dos servidores, a paralisação das atividades vai encerrar a especialização de médicos (residência médica) no setor.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde (Sindisaúde), nesta quinta-feira (31), a Fundação Rio Solimões (Unisol), instituição privada de apoio à Universidade Federal do Amazonas (Ufam), iniciou o processo de demissão de 70 trabalhadores que atuam no centro de Hemodiálise do HUGV, com previsão de ser desativado a partir de 24 de junho, quando encerra o convênio entre a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam), que assegura o pagamento da folha de servidores que atuam na unidade.

As demissões devem ser homologadas nesta sexta-feira (01), durante reunião da Unisol e trabalhadores na sede do Sindicato do Sindisaúde. A medida inviabiliza o funcionamento dos serviços do setor que tem pacientes com problemas renais crônicos e agudos, que recebem atendimento diariamente no Centro de Hemodiálise.

O membro da Coordenação Geral e de Comunicação do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Superior do Estado do Amazonas (Sintesam), Ronaldo Bastos,  informou que o quadro de funcionários (contratados pela Unisol) ameaçados de demissão é formado por médicos, nutricionistas, técnicos de hemodiálise, assistente social, psicólogo, enfermeiros entre outros. “Todos os 70 trabalhadores do setor foram convocados para receberem os seus avisos prévios, e amanhã continua o processo de demissão”, afirmou.

Esclarecimentos

O  Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Superior do Estado do Amazonas (Sintesam) informou que o diretor do HUGV foi procurado, na semana passada, no dia 22, para apurar os motivos do fechamento do Centro de Nefrologia e situação dos funcionários que manifestavam o receio de serem mandados embora depois de quase cinco anos de serviços.

Conforme o órgão, o diretor do HUGV, professor Lourivaldo Rodrigues de Souza, relatou aos coordenadores do Sintesam, Ronaldo Bastos e Crizolda de Araújo, que o serviço será suspenso por falta de recursos para manter a folha de pagamento dos 70 funcionários, contratados pela Unisol, que atuam no Centro.

De acordo com o diretor, a Secretaria de Estado da Saúde (Susam) estaria encerrando o convênio por dificuldades para o fechamento das contas (prestação de contas) com a Fundação Unisol, que gera os recursos de cerca de R$ 250 mil ao mês repassados pelo Estado. “Como o HUGV ou mesmo a Ufam, não podem absorver os funcionários sem concurso público, o destino será a dispensa. Diante disso estou comunicando o fato às entidades de classe (CRM, Sindicatos e a Associação) para explicar os motivos”.

Ainda de acordo com o sindicato, Lourivaldo Souza relatou ainda que, desde novembro do ano passado, vinha comunicando a data de encerramento do convênio à Susam e Unisol. Entretanto, só no dia 15 de maio a Secretaria enviou um ofício comunicando a intenção de manter o serviço, mas estaria esbarrando na falta de interesse pela própria Unisol para renovar o contrato. “Nós não temos como manter o centro funcionando sem que alguém banque a folha e pagamento dos funcionários. Já enfrentamos dificuldades de pessoal, insumos e máquinas para manter o teto de produtividade junto ao SUS”, atestou o diretor.

Susam

Em nota, o Secretário de Estado da Saúde, Wilson Alecrim, informa que a Secretaria de Estado da Saúde (Susam) tem um convênio com a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e com a Unisol para ajuda no custeio do serviço de tratamento das doenças renais realizado no Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV) e também disponibiliza recursos para o pagamento de procedimentos realizados neste serviço.

Conforme a Susam, o referido convênio vem sendo renovado continuadamente e tem como data do próximo vencimento o dia 24 de junho de 2012, e que atualmente o secretário está em tratativas com a reitoria da Ufam sobre a renovação do convênio no valor de R$ 1.205.000,000 (um milhão duzentos e cinco mil).

O secretário informa ainda que os recursos disponibilizados para pagamentos dos procedimentos são de R$ 1.380.000 (um milhão trezentos e oitenta mil) por ano, com teto mensal de R$ 115.000,000 (cento e quinze mil) e que infelizmente a administração do HUGV não consegue atingir a meta de produção. Nos últimos 12 meses em vez de R$ 115.000,000 por mês o HUGV apresentou faturas de apenas R$ 31.600,00 por mês.

Unisol

A reportagem do acritica.com tentou contato com a Fundação Rio Solimões (Unisol), pelo telefone 92 2123-8354 , mas as chamadas não foram atendidas.