Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Assalto de R$ 35 mil acaba em agressão de bandido, colisão com viatura da PM e homicídio, em Manaus

Depois de assaltarem comerciantes, bandidos fogem, mas um deles é agredido por moradores do bairro Jorge Teixeira

Estado da viatura após confusão entre bandidos no Jorge Teixeira, Zona Leste

Estado da viatura após confusão entre bandidos no Jorge Teixeira, Zona Leste (Evandro Seixas)

Um assalto de R$ 35 mil, realizado na noite de quinta-feira (23), em Manaus, na casa de um comerciante um homicídio de um morador, na no Jorge Teixeira, Zona Leste, movimentou as ruas do bairro. Um assaltante foi espancado por populares e outro acabou preso quando, em fuga, colidiu com viatura da PM. Pouco tempo depois, dois homens em uma moto alvejaram um jovem no quarteirão ao lado e já estão presos.

O comerciante José Edmar de Lima, 67, foi rendido dentro de casa, na rua Carapanúba, por volta das 20h30. Dois homens o amarraram, reviraram móveis e saíram levando R$ 35 mil. Na fuga, um deles, identificado como Daniel Praiano Crisóstomo, levou o dinheiro em um Fiesta vermelho sem identificação e outro, o Gleidson Rodrigo Moura, não teve sorte e fugiu a pé. Gleidson foi interceptado e espancado por moradores.

“Após o assalto, pegaram e bateram num ladrão. Quando fui lá ver já tinham jogado pedra na cabeça dele. Eram vários, mas só pegaram um”, contou uma moradora da rua Ariramba, no Jorge Texeira, que não quis se identificar. Gleidson foi golpeado com socos, chutes e outros objetos na esquina das ruas Carapanaúba e Alecrim.

“Mesmo espancado, ele, consciente, disse que ia se vingar de todos que estavam batendo nele e inclusive de quem filmava e olhava”, disse a moradora. Gleidson foi salvo por policiais da 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) e levado para o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, no bairro Adrianópolis, onde está internado.

Na mesma noite, pouco tempo depois, um homicídio ocorreu na rua Ariramba, no quarteirão ao lado. “Não deu nem uma hora. Quando a gente estava voltando, chegando à porta de casa, vieram dois na moto e o da garupa atirou. Foram mais de dez tiros”, informou moradora. Três rapazes que estavam na calçada foram alvejados pelas balas.

Juan Ferreira dos Santos, 17, foi atingido três vezes e levado ao HPS Platão, mas acabou morrendo. Os outros dois rapazes, Manoel Marques de Lima, 19, e outro adolescente, foram atingidos de raspão e passam bem. “Foi um tiro atrás do outro. Os dois conseguiram correr. Aí o cara viu que o rapaz (Juan) estava vivo, desceu da moto e atirou mais. Ele veio pra matar”, disse.

Os dois homens que estavam na moto e atiraram contra os três rapazes foram presos por policiais da 14ª Cicom. Sérgio de Oliveira Rebouças, o “Rato”, e Cristhoffer Rezende da Silva, estão na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) e responderão pelo homicídio de Juan e tentativa de homicídio dos outros dois.

A polícia nega que o homicídio de Juan tenha relação e seja uma retaliação pelo espancamento do assaltante Gleidson na rua Carapanúba. A Polícia Civil afirma que a morte de Juan foi um acerto de contas por dívidas do tráfico. Ainda será investigado também se “Rato” e Cristhoffer, os que mataram Juan, estejam envolvidos no assalto de R$ 35 mil.

 “Foi tudo muito rápido. Uma coisa bate na outra”, mencionou uma moradora. O outro adolescente que sobreviveu após ser alvejado por balas na rua Ariramba confessou que ele e Juan agrediram o assaltante Gleidson. Juan tem passagem na Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai) por um homicídio que cometeu em outubro de 2013.

Viatura da PM

O segundo assaltante da casa na rua Carapanúba, Daniel Praiano, fugiu levando os R$ 35 mil no Fiesta vermelho e, durante perseguição policial, acabou colidindo com uma viatura da 30ª Cicom. Daniel foi preso, mas apenas R$ 1,9 mil foram recuperados e devolvidos à vítima do assalto, o comerciante José Edmar.

“Eu não recebi de volta todo meu dinheiro. Eu não sei se ele (Daniel) passou pra alguém ou se a polícia pegou”, questiona Edmar. O mercadinho de Edmar, ao lado da casa dele, já foi assaltado 14 vezes, segundo ele, o último ocorrido segunda-feira (20). O assalto dos R$ 35 mil será investigado pela 30ª Cicom e o homicídio de Juan pela DEHS.