Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

‘Atacadistas’ e distribuidores de cocaína no Amazonas são presos pela Polícia Civil em Manaus

Um deles foi preso quando entregava droga para parceiro dentro da rodoviária da cidade. Comparsa levaria cocaína para Manacapuru e Novo Airão

Moisés, Orlando e Vanderlei

Moisés, Orlando e Vanderlei foram presos por policiais da 4ª Seccional Oeste e do 20º DIP (Oswaldo Netto)

Moisés Bittencourt Vidal, 43, o “Antônio”, Vanderlei Lima de Vasconcelos, 39, “Vando”, e Orlando Rodrigues de Oliveira, 37, “Maraca”, foram presos na manhã desta sexta-feira (4) suspeitos de serem “atacadistas” e distribuidores de droga. Eles foram presos por policiais da 4ª Seccional Oeste e do 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Moisés foi preso às 10h na rodoviária da cidade, na Zona Centro-Sul, quando entregava um quilo de cocaína para Vanderelei. Segundo a polícia, Vanderlei iria receber o material ilícito, embarcar em um ônibus para Manacapuru – distante 60 quilômetros da capital, e depois revender o entorpecente em Novo Airão – 115 quilômetros distante de Manaus. Vanderlei também foi preso na rodoviária.

“Eles marcaram lá nesse local para o Vanderlei receber a droga de Moisés”, informou a delegada Suely Costa, titular da Seccional Oeste. De acordo com ela, Moisés foi interrogado e confessou que na casa dele havia mais três quilos de cocaína, uma residência localizada na rua Jupiá, bairro Santa Etelvina, Zona Norte da cidade.

No local, a polícia encontrou 3,2 quilos de cocaína em pedra e, segundo os policiais, enquanto a casa era revistada, uma mensagem enviada para o aparelho celular de Moisés denunciou outro traficante do grupo. Orlando, o “Maraca” pediu, na mensagem, para encontrar Moisés em um posto de combustível no bairro Santa Etelvina para receber a “mercadoria”, ou seja, cocaína.

A polícia forçou Moisés a confirmar o encontro e, no local, conseguiram prender também Orlando. Conforme a delegada Suely Costa, cada quilo de cocaína ia ser vendido por Moisés, para Vanderlei e Orlando, ao preço de R$ 6 mil. Já Orlando, “Maraca”, iria revender o entorpecente ao valor de R$ 6,5 mil.

O trio é considerado pela polícia como “atacadista” de droga, por fazer grandes distribuições. Segundo a delegada, eles iriam abastecer os municípios de Manacapuru, Iranduba e Novo Airão. Moisés confessou que recebia droga de Tabatinga – há 1108 quilômetros de Manaus, mas não disse quem seria o distribuidor.

Moisés e Vanderlei foram autuados por tráfico de drogas e Orlando por tráfico e associação para o tráfico. Todos foram levados para a cadeia pública de Manaus.

Histórico

Moisés foi preso em 2009 por tráfico de drogas e passou dois anos e nove meses cumprindo pena na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), local onde conheceu Orlando “Maraca”. “Maraca” também cumpria pena por tráfico e foi solto da UPP há um mês.

Vanderlei havia sido preso pela Polícia Federal com 99 quilos de droga em Manacapuru, em 2008, e usava um nome falso “Jose Orlando Rodrigues da Silva”. Com o nome falso, ele já respondia a três processos por tráfico de drogas.