Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Atingidos pelo acidente no Proama poderão ser isentos da conta do mês de julho

Cerca de 500 mil famílias foram prejudicadas com a falta de água. Prefeitura estuda a desobrigação do pagamento da tarifa pelos contribuintes

Segundo a prefeitura, o condutor da balsa que se chocou com a pilastra do Proama estava sob efeito de bebidas alcoólicas

Prefeitura estuda isenção da conta de água aos moradores atingidos pela falta de água, por conta do acidente no Proama. (Divulgação)

O prefeito Arthur Neto solicitou uma reunião envolvendo a Manaus Ambiental, a Agência Reguladora de Serviços Públicos do Amazonas (Arsam) e o Governo do Estado, afim de solicitar a isenção da tarifa de águas das famílias que foram atingidas pelo acidente ocorrido no Programa Águas para Manaus (Proama). Uma balsa carregada de areia colidiu na ponte que sustena a rede abastecedora, interrompendo o fornecimento.

A reunião ainda não tem data definida. Na semana passada o prefeito já havia feito o pedido de um estudo para levantamento de números exatos de casas que ficaram sem o abastecimento. O estudo será feito pela concessionária Manaus Ambiental e deverá analisar a atual situação de cada caso, afim de evitar o prejuízo ainda maior por parte da população com cobranças indevidas.

Na tarde deste domingo (6), o prefeito Arthur Neto visitou a empresa responsável pela construção das vigas de aço que substituirão as estruturas do Proama que foram destrídas no acidente. Ao todo são 50 toneladas de aço para construir 40 metros de placas . De acordo com o prefeito, todo o trabalho de recuperação do trecho destruído deverá ser concluído ainda no mês de julho.

“Nós estamos correndo atrás deste prejuízo enorme. Estamos trabalhando de maneira muito séria. É um compromisso de todos nós. Antes do fim do mês, nós teremos o restabelecimento pleno da água no Proama e lamentamos muito, porque é um dinheiro público que se gasta para recuperar algo que não deveria ter sido destruído da maneira que foi.", garantiu Arthur.

O prefeito ainda destacou que tanto a prefeitura de Manaus quanto o governo do Estado estão atuando de forma rápida para que o problema seja sanado. De acordo com ele, não só o poder público, mas todos os envolvidos na reconstrução, estão empenhados para que as mais de 500 mil famílias das zonas Norte e Leste da cidade, que ficaram sem água, tenham o abastecimento normalizado o mais rápido possível.

Medidas paleativas

Além de aumentar a vazão da água do Complexo de Produção da Ponta do Ismael, localizada no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus, para mais de 500 litros d’água por segundo, e da reativação de poços. A prefeitura estuda alugar mais caminhões pipa para ajudar no abastecimento de água nas localidades atingidas, como os bairros Jorge Teixeira e Nova Floresta, ambos na Zona Leste da capital. Além dos 25 veículos que já fazem esse serviço.