Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Bebê encontrada em lixeira externa do Instituto da Mulher morreu nesta segunda-feira (1º)

"Ingrid" passou por procedimentos cirúrgicos no Centro de Obstetrícia, foi medicada, passou pelo balão de oxigênio e foi posta numa incubadora na UTI Neonatal, onde continuou em estado grave até seu óbito

Instituto da Mulher

Instituto da Mulher é localizado na Zona Centro-Sul de Manaus (Euzivaldo Queiroz)

O bebê encontrado em uma lixeira na área externa do Instituto da Mulher Dona Lindu na última sexta-feira (29) veio a óbito nesta segunda-feira (1º). A menina foi apelidada de “Ingrid” pelos profissionais da UTI Neonatal, onde ela ficou internada até morrer nesta manhã.

“Ingrid” foi encontrada pela auxiliar de serviços gerais Sandra na lixeira do banheiro da recepção externa da ginecologia do Instituto da Mulher Dona Lindu. A instituição afirmou que ela pesava 900 gramas e se encontrava muito debilitada e hipotérmica quando foi achada, a ponto de ser tida como morta.

Sandra chamou a técnica em enfermagem Michele, que constatou que o cordão umbilical preso à bebê ainda pulsava e a levou aos cuidados do setor de Neonatologia, onde foi constatado o desenvolvimento típico de um bebê de 7 meses, isto é, um bebê prematuro.

Os neonatologistas acreditam que a sobrevivência prolongada de “Ingrid” em um ambiente tão hostil tenha sido possibilitada pela placenta que cobria seu corpo – este último fato ainda indica, segundo os médicos, que a mãe dela já deu a luz à outra criança.

Uma vez no hospital, ela passou pelos procedimentos de corte do cordão umbilical e de aquecimento no Centro de Obstetrícia, foi medicada, passando pelo balão de oxigênio e, finalmente, sendo posta em uma incubadora na UTI Neonatal da unidade de saúde, onde continuou em estado grave até seu óbito.

Um Boletim de Ocorrência foi registrado na sexta-feira (29) no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), sendo posteriormente encaminhado ao 22º DIP, que atualmente está encarregado das investigações que buscam desvendar a identidade e o paradeiro da mãe de “Ingrid”.