Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Servente é agredido com gargalo de garrafa em bar na ZL

Jeferson Parente de Almeida, de 27 anos, que sofreu a agressão, afirma não se lembrar do que aconteceu no domingo (16), quando ocorreu o incidente, em um bar no Jorge Teixeira

Ataque resultou em cortes por todo o corpo de Jeferson

Ataque resultou em cortes por todo o corpo de Jeferson (Antonio Menezes)

Mesmo com diversos cortes e inchaços pelas costas, rosto e braço direito, o servente Jeferson Richard Parente de Almeida, 27, pouco se lembra do que aconteceu com ele na noite de domingo (16), em Manaus. Ele foi golpeado diversas vezes com gargalo de garrafa. O agressor, Messias dos Santos Araújo, 21, já foi preso.

Após receber alta médica e já em casa, Jeferson falava de forma pausada e ainda aparentemente sob efeito de álcool. “Eu não me lembro. Eu sei que eu estava bebendo e já estava voltando para casa, quando ele já veio com a garrafa pra cima de mim. Eu estava embriagado, mas me espantei”, contou a vítima.

Jeferson bebia com outras pessoas, por volta das 23h, ao lado do bar Mangueirão dos Amigos, na avenida Tapajós, Jorge Teixeira 4, na Zona Leste. “Eu lembro que eu tinha acabado de tomar cerveja, tinha saído do banheiro e ia para casa, quando ele veio pra cima. Eu saí correndo e ele atrás. Ele só parou quando eu caí no chão”, disse.


Messias (foto) foi preso pouco tempo depois de agredir Jeferson. Segundo moradores, ele voltou ao bar do Mangueirão com a camisa ensanguentada e disse que fez isso porque Jeferson teria “mexido” com o irmão mais novo dele. “Disseram que ele fez isso porque eu bati no irmão dele. Mas eu não me lembro. Eu nem sei quem é. Acho que ele me confundiu com alguém”.

Policiais da 30ª Companhia Interativa Comunitária prenderam Messias e o levaram para o 14º Distrito de Polícia, onde ele foi autuado por tentativa de homicídio. “Eu fico com medo de represálias. A gente vê tanta gente morrendo por engano. Aqui mesmo já aconteceu muitas vezes”, contou a mãe de Jeferson, de 43 anos, que não quis se identificar. Messias foi levado para a cadeia pública de Manaus.