Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Homem mata cão filhote arremessando-o de laje e tenta assassinar outro por afogamento

A Delegacia Especializada em Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema) recebeu uma denúncia pelo 190 e constatou os fatos, ocorridos na Zona Sul de Manaus

A Delegacia Especializada em Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema) recebeu uma denúncia e deslocou uma equipe até o local

A Delegacia Especializada em Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema) recebeu uma denúncia e deslocou uma equipe até o local (Divulgação / Polícia Civil)

Genocildo Pereira Ferreira, 37, natural de Aracajú (SE), foi denunciado após jogar dois filhotes de raça não definida - possivelmente vira-latas - da laje da sua casa, localizada na rua Barbosa Rodrigues, bairro São Francisco, Zona Sul de Manaus, por volta das 13h30, desta sexta-feira (14), justamente no Dia Nacional dos Animais.

Segundo a denúncia, Genocildo tinha em sua residência quatro filhotes, que supostamente eram de rua e haviam invadido a resdiência, e na tarde desta sexta começou a bater nos animais, chegando a arremessar um deles pela laje. Informações preliminares dão conta de que o homem teria, ainda, molhado os cães com água sanitária e estrangulado um dos filhotes. As informações, porém, não foram confirmadas pela polícia.

A Delegacia Especializada em Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema) recebeu a denúncia e deslocou uma equipe até o local. Segundo a delegada Isolda Castro, titular da Dema, foi constatado que os dois filhotes estavam jogados no chão: um teria morrido na hora e o outro foi levado a um clínica veterinária em estado grave.

Genocildo foi encaminhado à delegacia e negou que tivesse cometido o crime, no entanto uma testemunha que está sendo mantida sob sigilo afirma ter visto o dono praticando a ação. Ele foi autuado pelo artigo 32, da lei 9.605, por maltrato de animais, assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e foi liberado.

No próximo dia 26 de março, Gnocildo deverá participar de uma audiência na Vara do Meio Ambiente para ser julgado e saber que pena deverá cumprir. A pena pode variar de três meses a um ano de detenção, além de multa, mas a delegada afirmou que será agravada já que o incidente resultou na morte de um dos cachorros.