Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Camelôs cobram explicações de Artur na reinauguração do T5

Ambulantes afirmaram que fizeram acordo com Prefeitura para não ficarem sem trabalhar no terminal, mas pacto não foi cumprido

População cobra do prefeito Artur Neto melhorias no transporte, entre outras coisas, durante inauguração do T5

População cobra do prefeito Artur Neto melhorias no transporte, entre outras coisas, durante inauguração do T5 (Antônio Lima)

O terminal de passageiros T5, na Zona Leste, foi reinagurado nessa segunda-feira (30), mas o que deveria ser um momento de alegria para a população transformou-se em mais um embate entre a Prefeitura e os comerciantes ambulantes.

Após reunião realizada no domingo (29) , com o secretário municipal de produção e Abastecimento (Sempab), Fábio Pacheco, os camelôs foram comunicados que iriam ser retirados de dentro do terminal de integração para a reinauguração e que poderiam retornar ao local após a realização de um cadastro feito pela Prefeitura.

A medida, segundo o secretário Fábio Pacheco, visava padronizar as barracas e a atividade dos ambulantes instalados no Terminal 5.

De acordo com ambulante Carlos Alberto Rodrigues, durante a reunião, os 89 trabalhadores que possuem bancas dentro do local apenas foram informados que deveriam se retirar e procurar a Sempab para fazer um cadastro.

Para Carlos, os ambulantes foram retirados e “jogados”, sem uma preparação e sem pensar nos prejuízos causados pelos dias que ficarão sem trabalhar. “Nós nos sentimos humilhados, pois desde que essa reforma começou, somos jogados de um lado para outro”, disse Carlos Alberto.

O vendedor de lanche, Antonio Marcos Nogueira, diz que somente no dia de ontem, quando foi retirado do terminal, teve um prejuízo de R$ 250.

Durante a reinauguração do T5, os permissionários aproveitaram para conversar com o prefeito Arthur Neto e pedir explicações sobre o problema.

O prefeito orientou que o secretário, Fábio Pacheco se reunisse novamente com os camelôs para ouvir as reivindicações da categoria.

Durante o evento, o prefeito chegou a explicar para a vendedora ambulante, Silene Ferreira, 54, que a desorganização que antes era vista no T5 como as ligações clandestinas, conhecidas como ‘gato’, serão combatidas.

A vendedora explicou que todas as ligações de energia foram autorizadas pela Manaus Energia e que as contas eram pagas mensalmente. “Ninguém roubava, sempre paguei entre R$ 57 e R$ 60 energia”, disse a ambulante.

Segundo Fábio Pacheco, a padronização das barracas seguirá o mesmo estilo das que serão colocadas no Centro, onde os clientes poderão identificar os vendedores pelo número de matrícula.

De acordo com a Sempab, para garantir o padrão, será oferecido aos ambulantes uma linha de crédito pelo Fundo Municipal de Fomento à Micro e Pequena Empresa (FUMEQ), onde eles terão até 15 anos para pagar.

Atrasos

E não foram somente os camelôs que aproveitaram a visita do prefeito Artur Neto ao Terminal 5 para fazer reinvidicações. A dona de casa Suelem Souza, 25, disse ao prefeito que a linha 089, que vai até o bairro Nova Floresta demora mais de 1 hora para passar pelo Terminal.

A aposentada, Rosa Pereira, 68, afirmou que assim como o ônibus 089, as linhas 093, 094 também demoram bastante tempo para passar. O prefeito ouviu todas as reclamações e pediu que o diretor presidente da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho verificasse a situação das linhas citadas.

Segundo o prefeito Artur Neto, com a reinauguração do Terminal 5, os passageiros passarão a ter maior conforto aos usuários que terão um espaço renovado com iluminação de qualidade e banheiros novos.

De acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutua (Seminf), os terminais de integração T3 e T4, que também estão passando por reformas, serão reinagurados no início de fevereiro. Sobre a desativação dos terminais 1 (Constantino Nery) e 2 (Cachoeirinha), o prefeito informou que deverá acontecer também em fevereiro.

Plataformas

Na tarde de ontem, o prefeito Artur Neto inaugurou também as 13 paradas do Bus Rapid Service (BRS) inseridas nas avenidas Constantino Nery e Torquato Tapajós. Apesar disso, as plataformas ainda não vão começar a atender a população.

Segundo o diretor presidente da Secretaria Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho, somente após o fim do recapeamento e a pintura das faixas é que o sistema deve começar a operar. Segundo o presidente, isso deve acontecer somente no início do mês de fevereiro.

Ele afirmou ainda, que o BRS com faixas preferenciais para ônibus, irá garantir mais agilidade à locomoção de pedestres e fluxo de trânsito. As obras de reforma das plataformas do sistema BRS no Eixo Norte-Sul tiveram duração de 180 dias e foram realizados pela empresa Red Engenharia LTDA, no valor de R$ 1.242.852,25.

A Seminf informou que os 16 abrigos do Eixo Leste – avenidas Camapuã, Autaz Mirim e alameda Cosme Ferreira - estão com 60% das obras concluídas e devem estar operando ainda no primeiro semestre de 2014.

De acordo com a Seminf, parte da antiga estrutura do sistema Expresso foi reaproveitada. O assoalho foi revestido com ladrilho hidráulico. Forros foram recobertos com chapas metálicas, assim como a cobertura, constituídas de telha chapa de aço zincada trapezoidal. As plataformas também possuem rampas de acesso aos cadeirantes no canteiro central e padronização visual.