Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Cem casais participam de casamento coletivo no interior do AM em ação social

Cerimônia é gratuita e ocorre no dia 23 de maio, no município do Careiro. Este é o segundo casamento coletivo organizado pela Comarca da cidade

Casamento coletivo está previsto para o dia 23 de maio, no município do Careiro

Casamento coletivo está previsto para o dia 23 de maio, no município do Careiro (Alexandre Fonseca/AC)

A juíza Sabrina Ferreira, da Comarca de Careiro Castanho, estabeleceu parceria com a Secretaria de Ação Social do Governo do Estado e com a Prefeitura do município de Careiro para a realização de um casamento coletivo no próximo dia 23 de maio no ginásio da Praça da Juventude no município. Para os cem casais inscritos, a cerimônia será gratuita e com direito a inúmeras atividades.

“No dia a dia vemos inúmeras pessoas tendo prejuízos nos seus direitos porque viveram juntas por muito tempo e na hora de comprovar a união ficam desamparadas. Essa iniciativa atende principalmente pessoas de baixo poder aquisitivo e que sempre sonharam com o casamento”, destacou a juíza Sabrina.

Em parceria com a Secretaria Executiva de Política para as Mulheres do Governo do Estado, serão realizadas diversas atividades, começando no dia 19 de maio até o dia do casamento. Entre elas, consultas ginecológicas, corte de cabelo e maquiagem. Nesse período, o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) também vai esclarecer sobre a lei Maria da Penha por meio de palestras.

Este é o segundo casamento coletivo organizado pela Comarca. O primeiro foi realizado em novembro e reuniu 50 casais.

Para o presidente do TJAM, desembargador Ari Moutinho, esta é uma iniciativa importante e mostra o comprometimento do Judiciário com o lado social. “São cem casais que vão se unir sem precisar gastar nada e ainda receber uma gama de serviços que às vezes são de difícil acesso pela distância, como é o caso do atendimento ginecológico”. 

*Com informações da assessoria