Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Candidato a governador do AM, Chico Preto suspende campanha após morte de PM em latrocínio

Sargento da PM e amigo de Chico Preto (PMN) foi morto a tiros nesta terça (2) em Manaus durante latrocínio, roubo seguido de morte. Candidato suspendeu campanha eleitoral temporariamente 

Candidato ao Governo, Chico Preto lamentou a morte do policial durante coletiva de imprensa convocada logo após o crime

Candidato ao Governo, Chico Preto lamentou a morte do policial durante coletiva de imprensa (Antônio Lima)

Candidato ao cargo de governador do Amazonas pelo Partido de Mobilização Nacional (PMN), Chico Preto suspendeu temporariamente a sua campanha eleitoral a partir desta terça-feira (2) após morte do seu amigo e segurança, o sargento da Polícia Militar José Cláudio Marques da Silva, 46, o “Caju”, vítima de latrocínio em frente à sede do partido, em Manaus, crime ocorrido por volta de 12h30 desta terça-feira.

No momento do crime, “Caju” acompanhava a esposa de Chico Preto, Silvana Castro Ribeiro da Costa, que é administradora da conta bancária da campanha eleitoral. Os dois haviam acabado de sair de uma agência bancária Bradesco, na avenida Djalma Batista, e retornavam com malotes de dinheiro para a sede do PMN, na rua Colômbia do conjunto Eldorado, na Zona Centro-Sul, quando foram surpreendidos por dupla armada a bordo de uma motocicleta. “Caju” foi atingido com três tiros e morreu na hora.


Chico Preto anunciou a suspensão da campanha eleitoral durante coletiva de imprensa, convocada logo após o crime. Ele afirmou que nenhuma quantia em dinheiro foi levada pela dupla de assaltantes, já que o montante não estava na sacola carregada pelo policial militar, e sim na mala que a esposa dele, Silvana, levava nas mãos. Silvana não foi atingida pelos tiros porque adentrou a sede do partido a tempo de se salvar, logo que ouviu os disparos. Na sacola de “Caju” havia apenas documentos, de acordo com o candidato.

“Eles acabaram levando a mochila errada, mas levaram uma vida”, declarou Chico Preto. Segundo o candidato, que também é deputado estadual na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), José Cláudio não era funcionário do PMN e nem da campanha eleitoral, era apenas lotado na Casa Militar da ALE-AM. Apesar de não trabalhar para o partido, "Caju" fazia tais serviços por amizade e voluntariamente, segundo Chico. De acordo com ele, o dinheiro sacado no Bradesco não era para salário de funcionários do PMN, mas para quitar pequenas despesas da campanha.

"Ele era meu amigo. Hoje pedi que ele pudesse me acompanhar até o banco, porque eu faria saques da conta bancária da campanha para pagamento de pequenas despesas. Não consegui sair do plenário, pedi que ele fosse até o banco. Saí do plenário e fui ao hospital Alfredo da Mata retirar pontos de uma cirurgia, foi quando minha esposa resolveu o que tinha que resolver. Aí ele acabou pegando carona de volta com ela", disse.

Investigação

A polícia investiga o caso e procura pelos dois bandidos. Câmeras de segurança de uma clínica dentária localizada ao lado da sede do PMN registraram o crime e isso ajudará na identificação da dupla. A motocicleta usada pelos dois é uma CG 125, de cor preta e placa JXC-7728, com restrição de roubo. Policiais das delegacias especializadas em Homicídios e Sequestros (DEHS) e de Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd) investigam o caso.

ASSISTA AO VÍDEO AQUI