Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Chuva forte em Manaus nesta segunda (21) causa alagações e queda de muros no Lírio do Vale

A água subiu, derrubou muros e alagou várias casas. Os prejuízos foram materiais como eletrodomésticos. O bairro Lírio do Vale fica na Zona Oeste da capital amazonense

Um muro não aguentou a força da água e caiu sobre uma residência

Um muro não aguentou a força da água e caiu sobre uma residência (Márcio Silva)

A força das águas da chuva que caiu na tarde de segunda (21), em Manaus, fez com que o único bueiro das imediações da rua 17, Lírio do Vale II, Zona Oeste, não suprisse a demanda e causasse estragos. Com isso, a água subiu, derrubou muros e alagou várias casas. Apesar dos inúmeros prejuízos materiais, onde os moradores perderam móveis e objetos pessoais, ninguém se feriu.

Segundo informações de Radma de Jesus, moradora da casa 67, a mais afetada pela enxurrada, na hora da chuva, a água do bueiro que passa entre as residências começou a alagar o imóvel. “O bueiro transbordou, ouvi uns estalos e então os muros que ficavam ao lado da minha casa caíram ao mesmo tempo e, a seguir, a água começou também a entrar”, disse.


Ainda de acordo com Radma, a água tomou o espaço da casa rapidamente. “Entrou pelo ralo do banheiro e depois tudo alagou muito rápido. Ficou acima da minha cintura. Peguei a minha filha de seis anos e sai correndo”, recorda. Com o alagamento, Radma disse que perdeu geladeira, máquina de lavar, televisor, colchões, e outros eletrodomésticos.

O proprietário da residência, o funcionário público Jusuely da Silva, explicou que não sabe se a estrutura do imóvel está comprometida. “Como a água começou a entrar por baixo, temo que estejamos correndo perigo”, disse, completando que os moradores ligaram para Defesa Civil, mas ninguém atendeu as ligações.


Outras residências do entorno também sofreram com o alagamento, que ultrapassou os quintais, derrubou mais um muro nos fundos da residência e foi parar na rua 18. “Depois que a água alagou tudo, também derrubou todos os muros e saiu na rua de trás. O problema é esse bueiro que tem que absorver a água de todo o bairro praticamente e não dá conta”, reclamou a dona de casa, Paula Silva.

Uma equipe da Defesa Civil do Município compareceu ao local, como em outros pontos da cidade afetados pela chuva. A assessoria do Serviço de Proteção da Amazônia (Sipam) prometeu informar dados sobre a quantidade de chuva ainda nesta terça-feira (22). O Sipam possui radares meteorológicos que alertam as defesas civis duas horas antes da chuva.