Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Ciclista é assassinado com tiro na cabeça no conjunto Eldorado

Supostamente vítima de latrocínio, Wagner Luiz da Silva Correa havia acabado de deixar namorada em casa quando foi abordado. No local do crime, o porta-malas do carro estava aberto, mas nada foi roubado

Wagner havia feito "pedalada" logo antes de ser assassinado

Wagner havia feito "pedalada" logo antes de ser assassinado (Reprodução/Facebook)

Wagner Luiz da Silva Correa, 32, foi morto com um tiro na cabeça na noite desta quinta-feira (14), no conjunto Eldorado, bairro Parque Dez, Zona Centro-Sul de Manaus, em uma suposta tentativa de roubo. A vítima havia acabado de deixar a namorada em casa, ainda no Eldorado, e seguiu de carro, quando então foi abordada na rua Rondônia, aproximadamente uma quadra depois.

No local do crime, a vítima estava estirada no chão, com uma perfuração de bala na face, e o veículo, um Fiat Palio de placas OAL-3385, estava com o porta-malas aberto. “A gente acha que algum barulho (no carro) o incomodou e ele resolveu descer para verificar. E aí aconteceu”, disse a Jaqueline Bezerra, 24, amiga da vítima.

Wagner é ciclista e estava vestido com roupas da atividade física. Segundo Jaqueline, ele teria saído do veículo para verificar o que era aquele barulho no suporte do porta-malas, onde carregava uma bicicleta. Nesse momento, um homem desconhecido se aproximou e exigiu algo à Wagner, que teria negado. O assassino atirou na vítima e fugiu do local.

Conforme colegas de Wagner, nenhum pertence dele foi roubado. À polícia, a irmã da vítima, Julianna Matias Miranda, disse que havia no carro de Wagner R$ 1.544,75, um relógio, um celular e equipamentos de ciclismo, o que pode descartar a versão de latrocínio.

Outras versões foram relatadas à polícia, como a de que Wagner estava dentro do veículo, sentado e com os vidros fechados, quando teria sido abordado pelo assassino. Outra é de que ele estava andando em direção ao veículo e conversando com um homem – sem saber que esse seria o assassino, quando avistou outro homem mexendo no carro, foi tirar satisfações e foi alvejado por trás pelo primeiro homem.

Conforme outros amigos de Wagner que não quiseram se identificar, a vítima costumava fazer “pedalada” pelas ruas de Manaus e, recentemente, havia sido atropelada por um motorista na Ponte Rio Negro. O caso de atropelamento foi levado à Justiça e, talvez, um dos acusados de atropelar Wagner, para se vingar, tenha mandado assassiná-lo.

Policiais militares da 23ª Companhia Interativa Comunitária atenderam a ocorrência e agentes da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestro (DEHS) investigam o caso. O velório de Wagner ocorrerá no início da tarde desta quinta-feira, em funerária na avenida Boulevard Álvaro Maia.

*Colaborou a repórter Girlene Medeiros