Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

De 3 toneladas de lixo coletados diariamente em Manaus, apenas 3% é reciclado

Nos primeiros cinco dias da Copa do Mundo em Manaus, três toneladas de lixo reciclável foram coletadas. Em dias normais são geradas três mil toneladas de lixo orgânico e, desse total, apenas 3% do material vai para reciclagem

foto lixo

Trabalho realizado na Copa pelos 44 catadores do projeto Coleta Seletiva e Solidária tem incentivado mudança de hábito (Semcom/Karla Vieira)

Uma grande preocupação mundial é a quantidade e o destino do lixo produzido pela população. Durante os cinco primeiros dias de jogos da Copa do Mundo em Manaus foram coletadas três toneladas de lixo reciclável, conforme dados divulgados pela Secretario Municipal de Limpeza Pública (Semulsp).

De acordo com o assessor jurídico da Semulsp, Eisenhower Pereira Campos, em dias normais são gerados três mil toneladas de lixo orgânico e a coleta seletiva ainda é uma alternativa pouco explorada para diminuir essa quantidade, pois desse total diário, apenas 3% do material vai para a reciclagem.

Ainda segundo o assessor, a meta da secretaria é que até o final do ano o índice de coleta seletiva chegue a 7%. “A cidade conta com 74 bairros e apenas 11 deles tem pontos de coleta seletiva, além de algumas empresas.  Isso é muito pouco para uma capital como Manaus”, disse Eisenhower.

Para o assessor jurídico da Semulsp, o trabalho realizado durante a Copa do Mundo pelos 44 catadores, que fazem parte do projeto Coleta Seletiva e Solidária, desenvolvido pela prefeitura em parceria com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), vem fazendo a diferença nos dias de jogos do Mundial, em Manaus, pois é possível perceber uma mudança de hábito da população. “As pessoas têm entregado as latas e garrafas na mão do próprio catador e isso é um legado que com certeza vai ficar para depois da Copa”, acrescentou o assessor.

Lixo recolhido

A notícia divulgada na última semana, de que os torcedores do Japão recolheram o lixo depois do jogo, repercutiu nas redes sociais como um bom exemplo a ser seguido.

Segundo o assessor jurídico da Semulsp, o fato se deve a relação diferenciada que os estrangeiros têm com o lixo produzido por eles, pois, culturalmente, os brasileiros tem nojo de seus resíduos, enquanto em outros países é natural separar o lixo e deixar em um ponto de coleta seletiva.

O trabalho realizado durante o Mundial além de ampliar a coleta seletiva pretende desmistificar a imagem do catador, que muitas vezes era visto como alguém sujo, maltrapilho, enquanto, na verdade, realizam um trabalho extremamente importante na cidade. Eisenhower afirmou que todos estão muito satisfeitos com a repercussão positiva do trabalho, a visibilidade e a valorização da atuação dos catadores de resíduos.

Munidos de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), que inclui fardamento, luvas, botas, além de carrinhos para transporte e big bags para o acondicionamento dos resíduos coletados, os catadores vêm trabalhando em três turnos, distribuídos entre a Ponta Negra (diariamente), na Fan Fest, e na área da Arena da Amazônia (em dias de jogos). O projeto Coleta Seletiva e Solidária está sendo realizado em todas as 12 cidades sedes da Copa do Mundo 2014.

Reforço

A Delegacia Especializada em Crimes Contra o Turista (DECCT), no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, também recebeu reforço para atender ocorrências durante o período da Copa. Nos primeiros cinco dias de evento, foram registrados 26 boletins por furto e dois por perda ou extravio de documento.