Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Corretora é suspeita de aplicar golpes em no mínimo sete pessoas, em Manaus

Segundo vítimas, mulher oferecia benefícios em pagamentos e após receber dinheiro, não apresentava comprovantes. Suspeita foi denunciada em janeiro e Derfd irá investigar o caso

Em janeiro, Gabrielle contou em depoimento que deu golpe em vítimas porque já foi enganada

Em janeiro, Gabrielle contou em depoimento que deu golpe em vítimas porque já foi enganada (Reprodução/ Internet)

A corretora de imóveis Gabrielle Viana Batista, 27, é suspeita de aplicar golpes em no mínimo sete pessoas oferecendo benefícios na compra de casas e apartamentos. A mulher já havia sido denunciada em janeiro por duas pessoas e nesta sexta-feira (25), outro grupo afirma ter sido vítima de estelionato. A Delegacia Especializada em Roubos e Furtos (Derfd) irá investigar o caso.

Segundo vítimas, a mulher vendeu apartamentos e nunca entregou os imóveis, chegando a cobrar em algumas situações R$ 7 mil. “Ela acabou com o meu sonho de sair do aluguel”, disse a funcionária pública Edinalda Sampaio, 52.

A vítima conta que percebeu o golpe depois que esteve em uma das lojas de modulados que Gabrielle havia indicado. “Não tinha nenhum contrato firmado. Quando eu cheguei pra escolher, a atendente entrou em contato com a construtora e só aí fui informada que não existia nada no meu nome nem no dela”, disse.

O casal Wilson e Taíza Nobre também afirmam que foram vítimas da corretora. Eles contam que chegaram a pagar R$ 7 mil em um imóvel na Torquato Tapajós. “Ela tem muita lábia. Convenceu a gente de que o negócio era legal, prometeu até a mobília da casa. Ficamos empolgados e como já a conhecíamos há muito tempo, não desconfiamos de nada”, revelaram.

Conforme o delegado titular da Derfd, Orlando Amaral, outras vítimas contam histórias parecidas, porém os valores cobrados pela corretora – que possui diploma do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) – mudam em cada situação. Todas as pessoas, segundo Amaral, são conhecidas de Gabrielle.

“Ela conhece essas pessoas e ao contrário do que podem pensar, ela não desaparece nem perde o contato. Quando essas pessoas ligam cobrando ela inventa desculpas para não dar qualquer comprovante ou devolver o dinheiro”, explicou.

Ainda segundo o delegado, no primeiro depoimento de Gabrielle, a mulher admitiu que enganou as vítimas e colocou a responsabilidade em terceiros. “Ela disse que deu um golpe nessas pessoas porque também já foi enganada”, disse Amaral.

Segundo Amaral, as vítimas recentes e a suspeita serão ouvidos novamente e uma nova investigação deverá ser aberta e encaminhada à Justiça. 

*Com informações da repórter Kelly Melo