Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Corrida eleitoral: Hissa Abrahão mantém candidatura

O atual vice-prefeito afirmou que foi pressionado por Artur Neto para abandonar a ideia de disputar a eleição em 2014

Vice-prefeito Hissa Abrahão disse que dificilmente se aliará ao senador Eduardo Braga na campanha eleitoral pelo Governo

Vice-prefeito Hissa Abrahão disse que dificilmente se aliará ao senador Eduardo Braga na campanha eleitoral pelo Governo (Evandro Seixas)

Exonerado da pasta de Infraestrutura, na terça-feira, o vice-prefeito Hissa Abrahão (PPS) manteve, ontem, em coletiva, a condição de pré-candidato ao Governo do Amazonas, e disse ser difícil se aliar ao senador Eduardo Braga (PMDB) em 2014.

“Provavelmente, não (aliança com Braga). Somos (PPS e PSB) oposição à Dilma (Rousseff, presidente da República), e ele é o líder do governo dela”, disse Hissa.

O vice-prefeito convocou a imprensa, ontem, para falar das circunstâncias de sua saída da Secretaria de Infraestrutura (Seminf). Hissa disse que vinha sendo pressionado pelo prefeito Artur Neto (PSDB) a dizer que não será candidato a governador em 2014. Como se recusou, foi tirado do cargo de secretário.

“Querer forçar uma tomada de decisão sem eu ter a certeza (dela) é querer dizer que sou subalterno politicamente. Até ontem (terça-feira), antes do Artur oficializar minha demissão, recebi ligação pedindo para eu dizer que não seria candidato em 2014, que ficaria tudo como estava”, declarou Hissa Abrahão.

Segundo o vice-prefeito, dessa vez, quem insistia ao telefone para ele desistir da pré-candidatura era o ex-secretário de governo, e hoje de Educação Humberto Michiles (PSDB).

O vice-prefeito alegou que nunca afirmou ser candidato. Mas mesmo assim o assunto foi usado como pretexto para arrancá-lo da Seminf. “Agora não vou negar que não tenho vontade. Mas há diferença entre ter vontade e ser”, afirmou Hissa Abrahão.

Com a aliança nacional entre o PPS e o PSB, Hissa disse que a decisão do nome que concorrerá ao Governo do Amazonas passará pela anuência das duas siglas. “Se decidirem que o candidato será o Serafim (Corrêa-PSB) eu vou apoiá-lo. Não está nada decidido”, afirmou o vice-prefeito.

Leia mais na edição impressa do jornal A Crítica desta quarta-feira (18)