Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Cratera aumenta no Cidade de Deus e põe em risco a vida de moradores

Falta de manutenção por parte do poder público resultou em depressão no terreno, entre as ruas Corinthians e Santo Antônio

Dilson Pontes mostra a cratera que começou como um pequeno buraco no bairro Cidade de Deus: ele improvisou uma rampa para escorrer a água direto lá embaixo

Dilson Pontes mostra a cratera que começou como um pequeno buraco no bairro Cidade de Deus: ele improvisou uma rampa para escorrer a água direto lá embaixo (Luiz Vasconcelos)

Moradores das ruas Corinthians e Santo Antônio, no bairro Cidade de Deus, Zona Norte, há anos reclamam a existência de um buraco, de aproximadamente 70 metros, entre as duas ruas, que põe em risco a vida de moradores do local.

Dilson Pontes, 36, mora na Rua Corinthians há 9 anos e diz que com o passar do tempo, o buraco só vem aumentando. “Era pequeno e hoje já se tornou uma cratera” disse. “Eu tive que fazer uma rampa pra escorrer a água direto lá pra baixo, porque a água do esgoto estava fazendo com que o barro fosse caindo cada vez mais, fazendo com que o buraco aumentasse”, completou.

Durante os 9 anos que reside na casa, Pontes já presenciou vários acidentes: de animais de rua a crianças e adultos, que já caíram no buraco, além do desabamento de casas, entre outras tragédias. “Uma vez teve uma perseguição policial aqui na rua, a polícia conseguiu pegar os bandidos porque o carro deles ficou engatado aqui no buraco. Foi a primeira vez que eu vi esse buraco servir pra alguma coisa”, disse em tom de brincadeira.

Mas o sorriso logo se fecha quando questionado sobre a possibilidade de sair do local. “Não quero sair daqui, não quero deixar minha casa. Quero que a Prefeitura resolva a situação do buraco pra eu morar aqui sem medo de cair a qualquer momento”, afirmou.

Iana Silva, 28, mora há 4 anos na residência que fica bem abaixo do buraco, na rua Santo Antônio. Segundo ela, a maior preocupação não é nem o fato do desabamento, mas a quantidade de lixo que é jogado dentro do local, todos os dias. “Os vizinhos jogam lixo todo dia. Aí quando chove, os lixos são arrastados pro meio da rua e as ruas alagam. Tem dias que a gente mal consegue sair de casa; os lixos só faltam entrar na casa da gente”, desabafou.

“No ano passado, os vizinhos daí de trás tocaram fogo pra ver se sumia a quantidade de lixo que tinha, mas o fogo se alastrou tanto, que nós ficamos com medo de atingir nossas casas, tivemos que chamar o Corpo de Bombeiros” acrescentou.

A secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp) informou, em nota, que uma equipe seria enviada ao local para verificar a viabilidade para a retirada do lixo jogado na cratera. Além disso, uma placa informando sobre a proibição do descarte de lixo seria colocada.

Segundo Iana, no último dia 6, agentes da Secretaria do Estado de Infra-Estrutura (Seinfra) estiveram no local e informaram que seis casas situadas ao redor da cratera seriam retiradas para os reparos. “Os agentes disseram que, a princípio, nós iríamos morar em algum lugar alugado, depois ganharíamos um apartamento do projeto ‘Viver Melhor’ e não voltaríamos mais pra cá”, disse.