Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Dnit deve abrir 'saída de emergência' na BR-174

Interdição após deslizamento já completa 24 horas. De acordo com Departamento de Infraestrutura, levantamentos estão sendo feitos no local e possível abertura em área não afetada permitirá passagem de veículos

Dnit iniciou nesta segunda-feira (3) primeiros reparos no local atingido por deslizamento

Dnit iniciou nesta segunda-feira (3) primeiros reparos no local atingido por deslizamento (Clóvis Miranda)

Localizado no quilômetro 57 da BR-174 (estrada que liga Manaus à Boa Vista), o trecho que cedeu após forte chuva do último domingo (2) continua interditado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) para a passagem de veículos. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) esteve no local na tarde desta segunda-feira (3) para executar reparos de emergência. Uma via alternativa deve ser construída para a circulação de carros pequenos entre hoje e amanhã (terça-feira).

De acordo com a polícia, o trecho da rodovia já apresentava rachaduras desde a semana passada e cedeu após a chuva que caiu de sábado (1) para domingo. Os policiais rodoviários orientaram os motoristas a retornarem para Manaus ou ao município de Presidente Figueiredo (distante 117 quilômetros de Manaus) até que o caso seja solucionado.

Segundo a Prefeitura de Presidente Figueiredo, um maquinário está à disposição do Departamento para o andamento dos trabalhos. Conforme informações do secretário de obras do município, Marcello Marcião, a opção mais viável pode ser um novo caminho pelo acostamento. “Pretendemos fazer uma pista de barro na parte que não cedeu com o objetivo de escoar o fluxo de veículos”, explicou.

Os prejuízos devido à interdição da rodovia já podem ser observados. O A CRÍTICA esteve no trecho na tarde desta segunda-feira e constatou que quatro caminhões de carga aguardavam a liberação da rodovia para seguir viagem até Boa Vista (RR). Produtos como cerveja, iogurte e combustível não puderam ser transportados e a perda foi total. Os caminhoneiros estão abrigados em uma comunidade próxima ao quilômetro 42.

Foliões que foram ao município para o festival ‘Carnachoeira’ e que pretendiam voltar no último domingo também estão presos do outro lado da rodovia.

Pontes móveis

De acordo com o major do Exército, Vandir Pereira Soares, existe a possibilidade de mecanismos móveis serem instalados no local. “As pontes têm 30 metros e demorariam 12 horas para serem transportadas, pois estão alocadas em Boa Vista”. A opção foi dada do Departamento de Infraestrutura que deve analisar a proposta. 

*Com informações do repórter Jhonny Lima