Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Dona de casa é assassinada em frente ao filho de quatro anos

Mulher foi executada com oito tiros na noite de segunda-feira quando ia ao mercadinho para preparar o jantar; familiares confirmaram que ela era usuária e vendedora de drogas

Local onde foi velado o corpo de Vanderlane, conhecida como Pacu

Local onde foi velado o corpo de Vanderlane, conhecida como Pacu (Winnetou Almeida)

Vanderlane Gomes da Silva, 31, morreu a tiros em frente ao filho de quatro anos de idade. A vítima foi a um mercadinho, na noite de segunda-feira (4) acompanhada da criança, quando foi atingida por oito disparos. A mulher era traficante de drogas. O crime aconteceu no beco São Francisco, próximo à rua Marcelo Santos, situada no bairro Armando Mendes, Zona Leste de Manaus. A Polícia Civil identificou um dos suspeitos e faz buscas pelo homem.

Os tiros atingiram o pescoço e o tórax da vítima. Segundo familiares, Vanderlane tinha ido ao mercadinho fazer compras para o jantar e seu companheiro tinha acabado de chegar em casa. Dois homens se aproximaram da mulher e efetuaram os disparos. O menino viu toda a cena e correu assim que a mãe caiu no chão. Os autores dos disparos fugiram sem deixar vestígios.

Conforme moradores do bairro, Vanderlane era conhecida pelo apelido de “Pacu”.  A família da mulher confirmou o envolvimento dela na venda de entorpecente no bairro Armando Mendes.

Suposta briga

De acordo com o industriário Vanderlei Gomes da Silva, 32, irmão da vítima, a morte teria sido motivada por uma discussão que aconteceu no último sábado (2). Alguns homens roubaram uma motocicleta e a deixaram em frente à casa de Vanderlane.

A vítima reclamou da atitude e foi chamada de “gaiata” pelos supostos assaltantes. Os homens estavam armados, conforme testemunhas. “Quando minha irmã reclamou, os caras disseram que ela era muito gaiata. Não dá para afirmar com toda certeza, mas eles se desentenderam, naquele dia, e é possível que ela tenha morrido por causa da briga. A gente não sabia muito da vida dela, porque ela era muito fechada e ficava muito na casa dela”, afirmou Vanderlei. 

A vítima deixa companheiro e três filhos: um de quatro anos de idade, outro garoto de oito, e um adolescente de 14 anos.

Usuária de drogas

Vanderlei disse que a irmã consumia e vendia entorpecente há anos e que a família sofreu bastante, tentando tirá-la do meio das drogas.

“A gente sempre tentava alertar ela, dizendo que isso não a levaria a lugar nenhum. Tínhamos muita preocupação, por causa dos filhos dela que são muito novos e tinham que conviver com essa situação”, acrescentou o irmão da vítima.

 A equipe de investigação da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), localizada na Zona Leste da capital, suspeita que um dos autores dos disparos seja um homem identificado como “Léo Paraíba”. O comparsa, que também estava no local do crime, não foi identificado. Os dois são buscados pela Polícia Civil. As investigações acerca do crime seguem sob coordenação dos investigadores da DEHS, mas até agora nenhum suspeito de ser autor dos disparos que vitimaram Vanderlane havia sido preso.