Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Durante solenidade, Sejus inaugura Centro de Detenção Provisória Feminino em Manaus

Unidade prisional permitirá a desativação da Cadeia Pública Feminina, no Centro. Obra durou 11 meses e tem capacidade para 182 internas, segundo o órgão

Obra foi realizada em parceria com o Governo Federal e custou R$ 8.052.979,30, segundo a Sejus

Obra foi realizada em parceria com o Governo Federal e custou R$ 8.052.979,30, segundo a Sejus (Divulgação)

A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejus) inaugurou nesta terça-feira (24) o Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF). A nova unidade prisional permitirá a desativação da Cadeia Pública Feminina, que funciona no Centro da cidade, e tem capacidade para 182 internas. A obra durou 11 meses e custou R$ 8.052.979,30, segundo o órgão.

Participaram da solenidade de inauguração o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Louismar Bonates; o Diretor do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Renato Campos de Vitto; o desembargador do Tribunal de Justiça do Amazonas, Sabino Marques; o delegado geral da Polícia Civil Josué Rocha, entre outras autoridades.

A obra foi realizada através de uma parceria do Governo Federal, através do Ministério da Justiça e do Governo do Estado do Amazonas. O Centro de Detenção Provisória Feminino tem capacidade para 182 internas  e teve investimento do Governo Federal de R$ 7.247.681,37 e R$ 805.297,93 investidos pelo Governo Estadual. O custo total da obra foi de R$ 8.052.979,30.

“Temos uma parceria importante com o Amazonas, que está de parabéns por enfrentar esse problema sério do déficit penitenciário e fazer projetos, buscar recursos e realizar”, enfatizou o diretor do Depen, Renato Capos de Vitto.

A obra teve duração de onze meses e além das normas padrão de segurança seguiu também as normas ambientais. A unidade possui uma moderna estação de tratamento de esgoto que foi projetada para atender uma demanda superior à capacidade do prédio. Esse projeto já visa contemplar, caso haja necessidade, a ampliação da unidade prisional.

“Não nos traz satisfação inaugurar um presídio, mas é uma necessidade social e se tem que existir que seja justo. As pessoas que por aqui passam estão fora do convívio social, mas um dia retornarão à sociedade e precisam estar recuperadas”, defendeu o secretário de Justiça e Direitos Humanos coronel Louismar Bonates.

A unidade também possui um berçário, para acomodar de forma digna as internas que são mães e tem a companhia dos seus bebês menores de seis meses. A arquitetura do berçário não possui grades, foi projetada para que as crianças não se sintam em um presídio e nem tenham lembranças negativas do local.

“Com essa inauguração a Secretaria de Justiça cumpre seu compromisso com o Conselho Nacional de Justiça, que determinou a desativação da Cadeia Pública e só nos resta elogiar o trabalho do secretário que enfrentou o problema e deixará a Cadeia Pública apenas como uma lembrança histórica para Manaus”, considerou Josué Rocha.

Na solenidade ainda foram entregues 11 veículos-cela que serão utilizados para o transporte de presos. De acordo com o secretário da Sejus, dos 11 carros, nove irão para as unidades do interior do Estado.

*Com informações da assessoria