Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Ex-padrasto é suspeito de matar enteado com quem mantinha relação sexual no interior do AM

O suspeito de assassinar Fábio Roys Braga, 14, é o ex-padrasto dele, Rui Grana de Oliveira, que é procurado pela polícia. O motivo do crime seria o receio que o padrasto tinha de que o menino revelasse o segredo entre os dois

Rui (esquerda) era muito próximo do ex-enteado, Fábio Roys

Rui (esquerda) era muito próximo do ex-enteado, Fábio Roys (Reprodução)

O delegado do município de Iranduba, Elcy Barroso, confirmou que Rui Grana de Oliveira, 33, ex-padrasto do adolescente Fábio Roys Braga, 14, é o principal suspeito de ter assassinado o rapaz a facadas. O corpo do garoto foi encontrado na última segunda (12). A principal linha de investigação, segundo Barroso, é de que o homem vinha se relacionando sexualmente com o menino e que temia que a vítima revelasse o segredo para os familiares.

Rui Grana permanece foragido e a polícia trabalha para localizar o paradeiro do suspeito. A vítima foi encontrada morta com uma facada no peito, na tarde da última segunda (12), em um matagal próximo à lixeira municipal de Iranduba, por moradores do ramal do Janauari, localizado no Km 8 da rodovia Manuel Urbano (AM-070). O menino vestia uma camisa, bermuda e estava com um capacete na cabeça.

Elcy Barroso explicou que o adolescente saiu de casa, na sede do município, na companhia do ex-padrasto por volta das 15h de domingo (11), em uma moto Yamaha de cor vermelha. Sem saber por onde andava, a mãe do garoto chegou a fazer contato com Rui pelo celular, por volta das 18h, mas ele teria afirmado que os dois estavam presos em uma blitz na estrada, mas que logo chegariam em casa. Depois disso, a família não obteve mais nenhuma informação sobre a vítima.

Moisés Lopes, conselheiro tutelar de Iranduba, disse à reportagem que a família chegou a comunicar o desaparecimento do menino na noite de domingo e um boletim de ocorrência (B.O) foi registrado no DIP local. Mas, só na tarde de segunda que o corpo do jovem foi achado no matagal. “Ele costumava sair com o ex-padrasto porque, apesar de novo, Fábio levava o Rui de moto para onde ele precisava ir. Mas ele (Rui) já estava separado da mãe do Fábio”, relatou Lopes.

Para a Polícia Civil, não restam dúvidas sobre a autoria do crime. “Não nos resta dúvida sobre a participação do ex-padrasto nesse crime. Até porque ele foi a última pessoa a sair com o Fábio, além de ter desaparecido com a motocicleta do menino”, relatou o delegado.

Ele também afirmou que familiares do menino relataram, em depoimento, que desconfiavam de que Fábio era abusado sexualmente pelo padrasto, e que por esse motivo o homem se separou da mãe do menino recentemente. Ainda segundo o delegado, a Polícia Civil também aguarda o resultado da necropsia realizada pelo Instituto Médico Legal (IML) para verificar se, antes do crime, a vítima manteve relação sexual com o suspeito.

Homenagem

De acordo com o conselheiro tutelar, Moisés Lopes, o corpo de Fábio foi velado na Escola Municipal Fernando Damasceno, onde era aluno do 7º ano do ensino fundamental. No local, familiares e amigos prestaram as últimas homenagens ao menino.