Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Greve dos trabalhadores da Ambev de Manaus chega ao fim

Reajuste de 28% para os trabalhadores que ganham o piso salarial e de 11,5% para aqueles que ganham acima dele foram algumas das melhorias conseguidas pelos empregados em acordo com a empresa

manifestação

Greve começou na quarta-feira (14) (Luis Vasconcelos)

Após a abertura de negociação com a empresa, que durou desde o fim da tarde de sexta-feira (16) atá a madrugada de sábado (17), trabalhadores e empresa chegaram ao seguinte acordo:

- Reajuste de 11,5% pra quem acima do piso salarial, a partir de 1º de maio, em cima do salário passado (até o dia 31 de abril). Os operadores, que ganhavam R$ 930, passarão a ganhar R$ 1.150;

- Reajuste de 30% pra quem ganha o piso, que era de R$ 726 e passará a ser de RS 950;

- O desconto do transporte, que era de 4,5%, passa a ser de 6%;

- O desconto referente às refeições, que antes de R$ 10 ao mês, passará a ser de RS 3,50 ao mês;

- Adicional noturno passou de 20% para 30%;

- Garantia de estabilidade no emprego por 30 dias;

- Pagamento integral dos dias parados;

- Participação nos Lucros e Resultados, e;

- Maior transparência no sistema de banco de horas, que será feito com a participação do sindicato.

"O acordo não foi alcançado 100% como nós queríamos, mas houve um grande avanço. A empresa sempre fazia as mesmas propostas e nós não aceitávamos. Essa situação perdurou até que nos pediram pra apresentar uma contraproposta. Isso melhorou a discussão. Considerando o contexto da empresa, foi um bom acordo", disse Vicente Castro, presidente da Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Bebidas de Manaus (Stibam).

Antecedentes

A greve começou na noite da quarta-feira (14) depois de não haver avanço nas negociações sobre acordo coletivo de 2014. Entre as principais reivindicações estavam o piso salarial de R$ 1.500, reajuste acima da inflação e a criação de uma política nacional de Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

Na ocasião, a Ambev negou que a maioria dos funcionários em Manaus esteja em greve e afirmou que estava aberta ao diálogo com o sindicato para que a proposta apresentada por ela seja levada a todos os funcionários. A empresa também alegou que alguns empregados queriam seguir com a rotina normal de trabalho.

*com informações da assessoria de imprensa