Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Homem é morto com golpes de terçado na Zona Rural de Manaus

Um caseiro identificado como ‘Mário’, aparentando ter idade entre 30 e 50 anos foi encontrado morto na viscinal do Berê, localizada no quilômetro oito do ramal do Brasileirinho

Caseiro também apelidado de “peruano” e “papado”, foi encontrado morto no ramal do Berê, Zona Rural de Manaus

Caseiro também apelidado de “peruano” e “papado”, foi encontrado morto no ramal do Berê, Zona Rural de Manaus (Luiz Vasconcelos)

Um homem identificado como “Mário”, aparentando ter idade entre 30 e 50 anos foi encontrado morto na viscinal do Berê, assentamento Água Branca, localizada no quilômetro oito do ramal do Brasileirinho, por volta das sete horas da manhã desta segunda-feira (2).

Segundo informações dos policiais militares da 30º Companhia Interativa Comunitária (Cicom) que receberam a ocorrência, a vítima apresentava vários cortes de terçado pelo corpo.

A vítima foi encontrada a beira do ramal de bruços. A nuca do homem havia sido bastante golpeada ficando prestes a ser decepada de acordo com os PMs.

Os moradores da localidade informaram aos policiais que o caseiro também apelidado de “peruano” e “papado”, ingeria muita bebida alcoólica, o que aumenta as suspeitas da polícia de o homicídio ter sido realizado após uma briga.

Os policiais da 30º Cicom foram até a casa indicada por moradores, o caseiro tomava conta. No local os equipamentos elétricos estavam ligados e as portas da casa estavam destrancadas.

Na cama da vítima, o travesseiro havia sido colocado embaixo do lençol para simular que o caseiro estava dormindo, os policiais militares acreditam que possa ter sido uma manobra de quem executou o crime, para disfarçar o desaparecimento do caseiro.

Os PMs acreditam ainda que o homem tenha sido morto aproximadamente as cinco da manhã, pois ao chegarem ao local do crime, o corpo ainda jorrava um pouco de sangue e não havia a presença de moscas.

Questionados sobre a possibilidade de existir alguém circulando pelo local realizando furtos ou roubos, os moradores negaram que tenham sido vítimas de tais atos.

O caso foi encaminhado a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (Dehs).

Com informações do repórter Antonio Jr