Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Homem é assassinado com cinco tiros a caminho do trabalho, na Zona Norte de Manaus

Família afirma que catador de metais não tinha envolvimento com o crime e acredita que motivo da morte surgiu devido a desentendimento com duas pessoas, entre elas um PM

DEHS deu início as investigações, porém nenhum suspeito foi preso

DEHS deu início as investigações, porém nenhum suspeito foi preso (Winnetou Almeida/AC)

O reciclador José Raimundo Andrade da Silva, 43, foi morto com cinco tiros quando saia de casa para trabalhar, na rua São Tomé, bairro Novo Israel, Zona Norte de Manaus, por volta das 7h30 desta sexta-feira (16). 

A família prefere não se identificar temendo represálias, mas contou que José foi morto por dois suspeitos que estavam dentro de um veículo modelo Gol, de cor vermelha, de placas não identificadas, que desceram pela rua São Francisco, pararam em frente a casa dele, atiraram e fugiram no sentido avenida Torquato Tapajós.

José, que estava encostado no caminhão em que trabalhava, foi atingido principalmente nas costas. Os vizinhos e parentes ainda chegaram a levar a vítima ao Serviço de Pronto Atendimento do Galiléia, mas ele não resistiu e morreu. 

A família acredita que o crime pode ter sido a mando de duas pessoas. O principal suspeito dos familiares é um comerciante do bairro Manoa, identificado apenas como “Galdez”, com quem José teve uma discussão no ano passado. 

Segundo relatos do filho dele de 16 anos, a confusão teria começado porque ele teria batido no carro desse comerciante, que na época ficou bastante irritado e apontou uma arma para o adolescente. José, não gostou da atitude do comerciante e o colocou na Justiça, onde ação poderia custar quase R$ 100 mil ao bolso do comerciante, segundo informações da família.

Segundo suspeito

A esposa da vítima também lembrou que o marido já tinha sido ameaçado por um vizinho que é policial militar e que teria entrado na casa da vítima dizendo que o local era “boca de fumo”. Uma ação judicial sobre as ameaças contra o policial estava tramitando na Justiça. Os irmãos da vítima informaram que o carro dos suspeitos foi registrado pelo sistema de segurança de um mercadinho localizado na rua São Francisco. Eles pedem que a polícia recupere as imagens de segurança dessa rua e também da rua Jericó, por onde os suspeitos seguiram. 

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) foi ao local e já iniciou as investigações. Com as imagens registradas pelo sistema de segurança das ruas, pretende chegar aos suspeitos, mas até a publicação desta matéria nenhuma pessoa havia sido presa.

Justiça

O reciclador era casado e deixou quatro filhos e esposa. Segundo a família, não tinha vícios e trabalhava reciclando metais, papelão e outros materiais. O corpo foi velado na residência dele, onde a família, comovida, pedia Justiça.

“Queremos que a polícia faça o seu trabalho bem feito, queremos saber quem fez essa crueldade e que esses assassinos sejam presos”, disse uma irmã que preferiu não se identificar, temendo represálias.

*Com informações da repórter Jaíze Alencar