Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Homem mata ex-mulher por ciúmes com pedrada na cabeça na Zona Oeste

O crime aconteceu no bairro da Glória quando a vítima saia de uma festa na casa de amigos e foi surpreendida com a ação do ex-companheiro

Os feridos foram levados para o hospital 28 de agosto

A mulher foi encaminhada ao Hospital João Lúcio, mas não resistiu e morreu (Adriano Silva)

Um homem identificado até o momento apenas como Luiz Henrique matou sua ex-mulher com uma pedrada na cabeça, após ter visto ela saindo de uma festa na casa de amigos, no beco São José, bairro da Glória, Zona Oeste, na manhã deste sábado (7).

Segundo informações de pessoas que presenciaram o crime, a vítima saía de uma festa na acompanhada de amigos quando foi surpreendida com a ação do ex-companheiro, que a aguardava do lado de fora do local.

De acordo com relatos, o ex-companheiro da mulher tentou tirar o celular da mão dela, forçando-a ao chão. Depois, o suspeito aproveitou o momento, jogou uma pedra na cabeça da mulher e fugiu.

A vítima chegou a ser socorrida e foi levada ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA) do São Raimundo, na Zona Oeste, mas, devido ao seu estado grave de saúde, ela foi encaminhada ao Hospital Pronto-Socorro João Lúcio, na Zona Leste da cidade.

A vítima teve traumatismo craniano e morreu na tarde deste sábado (7).

Suspeito foragido

Os amigos da vítima informaram aos policiais militares da 5ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que atenderam a ocorrência, que o suspeito morava com o pai na rua Vitória, também no bairro da Glória.

Ao chegarem na casa, o pai do suspeito informou aos PMs que Luiz Henrique não estava lá. No entanto, alguns moradores disseram à polícia que o suspeito estava escondido.

Segundo o tenente Frederico, a guarnição não pôde revistar a casa pois o caso ainda não havia sido registrado e não havia mandado para isso.

A família só foi ao 5º Distrito Integrado de Polícia (DIP) registrar o ocorrido pela tarde, após receberem a notícia do falecimento.