Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Caseiro morre após ser golpeado no rosto com pedaço de concreto e esfaqueado mais de 15 vezes

O crime aconteceu dentro de um sítio na estrada do Puraquequara, em Manaus. A vítima foi golpeada com terçado no pescoço, cabeça, tórax, braços e pernas, e teve o rosto deformado por pedaço de concreto

Um caseiro identificado apenas como Antônio foi encontrado morto com mais de 15 perfurações de terçado pelo corpo e com o rosto totalmente deformado dentro do sítio onde ele trabalhava, no Distrito Industrial 2, Zona Leste de Manaus, no início da noite desta quarta-feira (18). Os assassinos fugiram, mas uma testemunha teria sido levada à delegacia.

O crime tem características de execução, já que a vítima foi atingida com golpes certeiros de terçado no pescoço, cabeça, tórax, braços e pernas, além de ter o rosto golpeado seguidas vezes com um pedaço de poste de concreto. Tanto o pedaço de poste quanto o terçado utilizados no crime foram deixados no local pelos assassinos.

O crime aconteceu por volta das 18h, no sítio localizado no ramal do 14, na estrada do Puraquequara. Policiais militares das 4ª e 28ª Companhias Interativas Comunitárias (Cicom) foram acionados e encontraram o corpo caído no chão. Segundo polícia, três homens teriam entrado no sítio para roubar galinhas e, após briga, golpearam a vítima até a morte.

Entretanto, a hipótese de acerto de contas também é levada em conta pela polícia devido às circunstâncias da morte. O corpo do caseiro Antônio estava estendido no chão próximo à entrada do sítio, e o rosto dele estava completamente distorcido, com partes do crânio e cérebro para fora do órgão, devido aos fortes golpes de concreto.

Segundo policiais da 28ª Cicom, uma testemunha do crime e conhecida da vítima foi localizada, mas até o final da noite ninguém havia prestado depoimento nas delegacias de plantão, 9º ou 14º Distritos Integrados de Polícia (DIP). O Instituto Médico Legal (IML) removeu o corpo e peritos e investigadores da Delegacia de Homicídios e 14º DIP investigam o caso.

*Colaborou a repórter Kelly Melo