Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Homens roubam quatro toneladas de vergalhão de ferro de obras do CT do Coroado

Marcos e José contaram com a ajuda de um funcionário da obra para roubar o carregamento em um caminhão. O material estava avaliado em R$ 1 mil

Conclusão do CT do Coroado está prevista para abril

Conclusão do CT do Coroado está prevista para abril (Winnetou Almeida)

Marcos de Souza Almeida, 38, e José Tiago Mota de Oliveira, 37, foram presos por furtarem cerca de quatro toneladas de ferro do tipo vergalhão de dentro do canteiro de obras do Centro de Treinamento (CT) da Copa, no bairro Coroado, na avenida Cosme Ferreira, Zona Leste. O material estava avaliado em R$ 15 mil.

O crime aconteceu na quarta-feira (5) de manhã, quando Marcos, José e um terceiro homem identificado como “Capuxo”, que são funcionários de uma empresa especializada em armação e montagem de ferro, saíram do canteiro de obras manobrando um caminhão muque que transportava as quatro toneladas de ferro.

O CT da Copa no Coroado está sendo construído pela construtora J. Nasser Engenharia, que foi vítima do assalto e contratou a empresa especializada para fornecer ferros. Os engenheiros da J. Nasser acionaram a polícia, que conseguiu prender Marcos no Km 15 da rodovia BR-174. Ele confessou o crime à polícia e disse onde estava o material furtado.

Cerca de 900 quilos de ferro foram encontrados pelo Batalhão Ambiental no pátio da casa de João da Silva Queiroz, 41, na rua Talismã, bairro Nova Floresta, Jorge Teixeira, Zona Leste. João comprou de Marcos os quilos de ferro pelo valor R$ 1 mil e apresentou um recibo da compra, porém acabou preso por receptação de material furtado.

O terceiro a ser preso foi Tiago. Todos foram levados ao 12º Distrito Integrado de Polícia, que ainda é investiga a participação de outras pessoas. Segundo funcionários da empresa J. Nasser, Marcos e José conseguiram passar pela guarita do canteiro de obras porque tinham acesso ao local.

O crime foi descoberto porque um funcionário do almoxarifado da J. Nasser estava em uma parada de ônibus em frente ao CT e viu a ação do bando. Ele avisou os patrões, que ligaram para a polícia. João foi autuado por receptação. Marcos e José foram autuados por furto. Todos foram encaminhados à Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa.