Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Detento de regime semiaberto é encontrado morto do lado de fora de presídio em Manaus

Ronnie Soares de Oliveira, 35, foi encontrado morto com vários cortes de terçado em um matagal localizado em frente ao Complexo Penitenciário Anísio Jobim, no Km 8 da rodovia BR-174

Peritos do IML estiveram no local para remover o corpo de Ronnie

Vítima cumpria pena no presídio acusada pelo crime de estupro (Bruno Kelly)

Ronnie Soares de Oliveira, 35, presidiário do regime semiaberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, foi encontrado morto com vários cortes de terçado em um matagal em frente a unidade prisional, no Km 8 da rodovia BR-174, no final da tarde desta sexta-feira (22). A vítima cumpria pena por crime de estupro dentro do Compaj.

Policiais disseram que o corpo foi encontrado por outros dois detentos que desciam o ramal na rodovia rumo a um igarapé próximo. Segundo os policiais, tais presidiários podiam circular do lado de fora da unidade prisional porque são do regime semiaberto e também porque realizam trabalhos externos. Ainda conforme a polícia, a vítima fazia parte do quadro de funcionários responsáveis pela limpeza externa do Compaj.

Policiais militares da 20ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), o delegado titular do 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Paulo Benelli, juntamente com investigadores da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), também estiveram no local. Os dois detentos que encontraram o corpo de Ronnie devem prestar depoimento ainda esta semana.

Uma das principais suspeitas para o crime é a de que Ronnie tenha sido por morto por colegas de prisão. Policiais não souberam informar se a vítima possuia alguma rixa com outro detento. Entretanto, há três meses, Ronnie já havia sofrido um primeiro atentado, quando foi agredido por outros presidiários que o jogaram num amontoado de lixo. O corpo da vítima foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML).