Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Invasão em área preservada gera conflitos entre moradores e índios

A invasão está localizada entre os conjuntos Alfredo Nascimento e Francisca Mendes 2 e iniciou há oito meses

Indígenas entraram em confronto com moradores do conjunto Francisca Mendes após invadiram área verde

Indígenas entraram em confronto com moradores do conjunto Francisca Mendes após invadiram área verde (Lucas Silva)

Quase 150 famílias que alegam ser indígenas entraram em confronto na manhã desta terça-feira (28), com moradores do conjunto Francisca Mendes 2, na Zona Norte, após invadiram uma área verde.

A invasão localizada entre os conjuntos e Alfredo Nascimento e Francisca Mendes 2 iniciou há oito meses e segundo os moradores da localidade, na manhã desta terça-feira (28) os indígenas avançaram para os fundos das casas das pessoas que moram no local há 20 anos o que ocasionou o confronto.

Havia um acordo verbal entre índios e moradores para que a ocupação não ultrapasse os limites dos terrenos legalizados na área. Porém, na noite de segunda-feira (27), os índios derrubaram a cerca que existia no local e construíram barracos aos fundos das casas dos moradores. Cerca de 50 barracos foram erguidos na área.

Na manhã desta terça-feira, os moradores foram questionar a quebra do acordo com os indígenas e houve confusão.

Agressões durante o confronto

Índios e moradores discutiram e a polícia foi acionada para evitar conflitos. Tanto índios quanto moradores alegam que sofreram agressão. A índia Nara Sateré Mawe, disse que foi agredida no pulso por um morador.

O operador de máquina Roberdan Mendes Zogaib, 44, mora na rua Tiuma, antiga rua 87, há 18 anos e disse que foi mantido em cárcere privado pelos índios durante 20 minutos. Ele é dono de uma das dez casas que ficam de fundo para a área invadida e questionou a retirada da cerca.

Roberdan contou que foi empurrado pelos índios e teve lanças apontadas contra ele, além de sofrer ameaças. O morador só foi liberado depois da chegada da polícia.

O cacique Kauíxe Kokama, cujo nome em português é Eledilson Correa Dias, disse que os índios não querem conflito e que apenas estão reivindicando um território que “por direito histórico” é deles.

Terra pertence ao Município

Segundo a polícia a área invadida pertence ao município e se trata de área preservada. Apesar de o tumulto ter sido contornado, ninguém foi retirado do local.

A PM atuou como mediadora do conflito e os indígenas prometeram não construir mais barracos para não provocar os moradores.

Acordo descumprido

Bastou a polícia sair do local para que a construção de mais barracos fosse retomada.

A invasão começou em junho de 2013 na área do conjunto Canaranas e Alfredo Nascimento. Em novembro avançaram para o Francisca Mendes.

Os moradores fizeram um acordo verbal no qual os índios prometeram que respeitariam uma cerca no local, o que não ocorreu.