Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Jovem sequestrada e estuprada em cativeiro na AM-010 tinha pedras dentro do órgão genital

Dentro do órgão genital da adolescente, de 17 anos, foram encontradas diversas pedras. Garota estava desaparecida há três dias, conseguiu fugir e ligar para família. Outra vítima teria sido morta enquanto tentava escapar de estupro

Médico da Instituto da Mulher só atende após jogo do Flamengo

Após entrar em contato com família, jovem foi socorrida e hospitalizada no Instituto da Mulher (Euzivaldo Queiroz)

Uma jovem de 17 anos, que estava desaparecida há três dias, foi encontrada nesta terça-feira (19) com ferimentos e indícios de estupro em um matagal no acostamento da rodovia AM-010 (estrada que liga Manaus a Rio Preto da Eva e Itacoatiara). A jovem disse ter sido sequestrada, estuprada e mantida em cárcere privado em uma chácara com mais duas garotas, sendo que uma delas já estaria morta.

A garota foi encontrada apenas com roupas íntimas, ensanguentada e com pedras colocadas dentro do órgão genital dela. Ela foi socorrida após conseguir sinal telefônico e ligar do próprio celular para os pais, que acionaram a Polícia Militar. As informações foram repassadas por familiares da vítima, que não podem se identificar.

Atualmente, a jovem está hospitalizada no Instituto da Mulher Dona Lindú, em Manaus, passou por procedimento de limpeza intrauterina e está sendo medicada. Ela contou que três homens a doparam no sábado (16) e, quando acordou, percebeu que estava mantida como refém com mais duas moças, com idades entre 19 e 22 anos.

Um desses sequestradores era conhecido da vítima e foi identificado apenas como "Alex". Segundo a garota, os dois se conheceram há cerca de seis meses na banca de venda de artigos de celular que ela trabalhava no bairro Manôa, Zona Norte da capital. Após criarem uma certa amizade e intimidade, ela pediu dinheiro emprestado a ele.

Na tarde do último sábado (16), "Alex" foi até à banca para falar que daria o dinheiro à vítima, contanto que ela fosse de carro com ele até uma agência bancária sacar a grana. No meio do caminho, o suspeito teria desviado o percurso e dito que precisava "resolver pendências", o que seria um pretexto para o início do sequestro.

Ele levou a garota até depois da barreira policial no final da avenida Torquato Tapajós, início da rodovia AM-010, quando mais dois homens entraram no veículo e a doparam. A jovem afirma não se lembrar do trajeto e que já acordou dentro do cativeiro, na estrada. No local, ela afirma ter sofrido estupro e violência física.

Morte e fuga

Conforme a vítima sobrevivente, duas jovens já estavam no cativeiro quando ela chegou lá na noite de sábado (16), sendo que uma estava viva e outra morta. Essa garota morta havia sido assassinada porque tentou escapar e se livrar de um estupro. Segundo a polícia, a sobrevivente não contou se sabia o nome dessas outras vítimas.

Após três dias de encarceramento, as duas jovens vivas perceberam um bom momento para tentar fugir do local: dois dos sequestradores haviam saído e apenas um estava no local. Nesse momento, uma delas conseguiu mobilizar o homem por trás e a outra correu, pegou um aparelho celular e fugiu a pé por um matagal para tentar pedir socorro. A sobrevivente contou que não ouviu gritos ou barulho de disparo de arma de fogo.

Após conseguir contato com familiares e ser hospitalizada, a jovem sobrevivente continua sem contato com a polícia. Não há informações sobre a localização do cativeiro, dos sequestradores ou das outras vítimas. Até o momento, nenhum registro do crime foi feito em delegacias da cidade e nenhuma investigação sobre o crime foi iniciada oficialmente.

Outro caso

Na noite de terça-feira (19), outra jovem foi sequestrada em Manaus. Uma estudante de medicina chegava próximo ao carro dela, na avenida Boulevard Álvaro Maia, Zona Centro-Sul, quando foi obrigada a seguir com quatro homens armados. Ela foi libertada cerca de uma hora depois sem ferimentos, mas o veículo e pertences foram levados.